Nas Bancas

Catarina Wallenstein

Catarina Wallenstein

CARAS

Melhor Atriz Teatro: Catarina Wallenstein

Está nomeada pelo desempenho na peça 'Não se Brinca Com o Amor'.

Redação CARAS
16 de maio de 2012, 02:51

Não se pode dizer que Catarina Wallenstein nasceu num berço de ouro, mas que nasceu num seio das artes, isso é certo. O seu pai, Pedro Wallenstein, estudou música e é contrabaixista. José Wallenstein, o seu tio paterno, é ator e a mãe, Lúcia de Lemos, é cantora lírica.
Catarina Wallenstein nasceu em Londres, em 1986, e artistas e artes performativas sempre foram uma constante na sua vida.
Com um ano e meio veio para Portugal e foi aqui que, ainda em criança, aprendeu a tocar violoncelo e teve aulas de canto cora, uma rampa de lançamento para aquela que viria a ser uma carreira artística.
Fez parte do coro da Fundação Musical dos Amigos das Crianças e foi através deste que veio a integrar as óperas infantis La Boheme, Tosca e Carmen, no Teatro São Carlos.
Mais tarde entrou para o liceu francês Charles Lepierre onde frequentou um ateliê de teatro que a conduziu ao Instituto Franco-Português. Aí fez interpretações na peça O Equívoco, de Albert Camus, e na shakespeariana Sonho de Uma noite de Verão.
Formou-se na Escola Superior de Teatro e Cinema, mas em 2007 ganhou o Prémio L'Oréal Paris - Jovem Talento, no European Film Festival Estoril, e decidiu ir mais longe. Escolheu Paris como destino e lá continuou a sua formação no Conservatoire National Supérieur d'Art Dramatique.
Para além do sucesso nos palcos, a jovem atriz tem participado em várias produções cinematográficas e televisivas, e visto o seu trabalho ser cada vez mais reconhecido. Enquanto frequentava o curso na Escola Superior de Teatro e Cinema, ficou com um papel no filme Lobos, de José Nascimento, que lhe valeu um Globo de Ouro para Melhor Atriz de Cinema, em 2008. Depois desta experiência muitas outras se seguiram. Singularidades de uma Rapariga Loura, o filme do mais premiado realizador português Manoel de Oliveira, Um Amor de Perdição, de Mário Barroso, e Salazar - A Vida Privada, de Júlia Prestrelo, contaram com o seu desempenho. O público reparou nas diferentes prestações e a crítica também. E foi precisamente por esses três papéis que voltou a arrecadar o galardão de Melhor Atriz na categoria de cinema, na XV edição dos Globos de Ouro (2010).
Participou também Só Gosto de Ti e Uma Aventura, em 2005, e na minissérie televisiva Mistérios de Lisboa, em 2011.
No seu currículo conta ainda a participação no filme Après Lui, de Gaël Morel, no qual contracenou com a atriz francesa Catherine Deneuve.
Catarina Wallenstein, de apenas 26 anos, está este ano nomeada para a XVII Gala dos Globos de Ouro, na categoria de Teatro, pela interpretação como Camille na peça Não se brinca com o amor, baseada na obra do francês Alfred de Musset, um enredo dramático de “desafio ao destino”.
Luísa Cruz (na peça A Varanda), Mónica Calle (na peça Recordações de Uma Revolução) e Sandra Faleiro (na peça Quem tem Medo de Virginia Woolf?) são as outras nomeadas para o Globo de Ouro de Melhor Atriz de Teatro.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras