Nas Bancas

Elmano Sancho

Elmano Sancho

CARAS

Melhor Ator Teatro: Elmano Sancho

Nomeado pela primeira vez para o Globos de Ouro, pelo trabalho na peça ‘Não se Brinca Com o Amor’.

Redação CARAS
16 de maio de 2012, 19:49

O nome algo invulgar foi sugerido pela avó paterna, que se inspirou no pseudónimo do Bocage, Elmano Sadino. À custa dessa inspiração, Elmano ganha muitas vezes outros nomes. De Hermano a Leandro, passando por Fernando ou Albano, tudo ao que o som se assemelhe é uma possibilidade.
Natural de Valpaços, Vila Real, começou por ir para o Porto estudar Economia. Lá surgiu o ‘bichinho’ da representação e, por essa razão, decidiu integrar o Teatro Universitário do Porto, onde teve a possibilidade de contactar com encenadores como Rogério de Carvalho e André Gago.
Em julho de 2002 terminou o curso de Economia e, nesse mesmo ano, em setembro, entrou para a Escola Superior de Teatro e Cinema (ESTC), em Lisboa.
Após frequentar os dois primeiros anos nesta escola, decidiu prosseguir os estudos na Real Escuela Superior de Arte Dramatico de Madrid, mas isso não foi suficiente e o próximo passo foi em direção à Universidade de São Paulo, no Brasil. Por último, ingressou no Conservatoire National Superieur d'Art Dramatique de Paris.
Em 2008 foi um dos três portugueses selecionados para integrar a primeira Companhia Teatral Europeia (com Martim Pedroso e Flávia Gusmão), dirigida por Annalisa Bianco e Virgínio Liberti, e, entre 2009 e 2010, pertenceu ao elenco da Comédie-Française.
Já trabalhou com Emmanuel Demarcy-Mota, Paulo Alexandre Lage, Maria João Miguel, Jorge Silva Melo, entre muitos outros nomes ligados ao teatro.
As línguas são um dos pontos forte do ator, que em 2011 concluiu a licenciatura em Tradução (Português/ Francês) na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Fala também fluentemente inglês e castelhano.
Ainda durante o ano passado foi protagonista da longa-metragem A Morte de Carlos Gardel, escrita e realizada por Solveig Nordlund. No elenco tinha nomes como Ruy de Carvalho, Rui Morrison, Teresa Gafeira, Carlos Malvarez, Joana de Verona, Albano Jerónimo e Carla Maciel, entre outros.
Contudo, foi a participação na peça Não se Brinca Com o Amor, de Alfred de Musset, com encenação de Jorge Silva Melo (diretor da companhia Artistas Unidos), que lhe valeu a nomeação para a XVII Gala dos Globos de Ouro na categoria de Melhor Ator de Teatro.
Já este ano, Elmano Sancho estreou A Morte de Danton, de Georg Büchner, com direção de Jorge Silva Melo, no Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães, e no Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa, e participou no filme As Linhas de Torres, de Raúl Ruiz e Valéria Sarmiento, ao lado de referências do cinema como John Malkovich e Catherine Deneuve, e numa série para o canal de televisão francês Canal Plus.
A convite do diretor dos Artistas Unidos, o ator estreou o seu primeiro monólogo Herodíades, a segunda parte da obra Três Prantos, de Giovanni Testori, que esteve em cena no Teatro da Politécnica, no início de 2012.
Elmano Sancho é, aos 30 anos, um dos atores portugueses com maior projeção internacional. Já atuou no Brasil, Irão, Japão, Turquia, Itália, Bélgica e Espanha.
Recebe este ano a sua primeira nomeação para os Globos de Ouro e disputa o prémio com António Fonseca (na peça Vermelho), Dinarte Branco (na peça Morte de Judas) e Ivo Canelas (na peça Amadeus).

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras