Nas Bancas

Virgílio Castelo eleito Melhor Actor de Teatro do ano passado

Este é o segundo galardão que o actor recebe esta noite, depois da distinção da peça 'O Camareiro', onde contracena com Ruy de Carvalho.

Andreia Guerreiro
23 de maio de 2010, 23:58

Foi com um enorme sorriso que Virgílio Castelo subiu ao palco da XV Gala dos Globos de Ouro para receber o prémio de Melhor Actor de Teatro pelo seu desempenho na peça O Camareiro. Coube a Glória de Matos entregar o galardão a Virgílio Castelo, que já tinha visto a peça na qual contracena com Ruy de Carvalho a ser distinguida no Coliseu dos Recreios.



Virgílio Manuel da Costa Castelo, de seu nome completo, que nasceu a 26 de Fevereiro de 1953, trabalha desde os 14 anos. O primeiro emprego foi na Mocidade Portuguesa, onde foi paquete e terceiro escriturário. Aos 18 anos viajou sozinho para Paris onde arranjou emprego no aeroporto de Orly e onde trabalhou mais tarde num restaurante. Regressou entretanto a Portugal e ainda foi empregado no Instituto de Estudos de Mercado antes de enveredar por uma profissão que implicava alguma exposição pública, ou seja, Virgílio Castelo respondeu a um anúncio para trabalhar no mundo da moda. Foi aceite.

A entrada no meio da representação acontece depois. Foi quando regressava de umas férias no Algarve que Virgílio Castelo, na altura modelo fotográfico, se cruzou com a amiga, a actriz Helena Isabel, que o convidou para trabalhar como secretário do grupo de Teatro Adoque. Acabou por fazer, desafiado pelo actor Francisco Nicholson, uma figuração em Pides na Grelha, que lhe valeu um primeiro ordenado chorudo. Foi em Junho de 1974. Desde aí nunca mais parou e hoje é uma figura incontornável no panorama artístico nacional.

Virgílio aproveitou depois uma bolsa que lhe foi atribuída pela Fundação Calouste Gulbenkian para viajar até Estrasburgo, onde se formou na Escola Superior de Arte Dramática. Uma formação que o ajudou a ser o actor que é hoje. Também é encenador e já dirigiu actores.

Em teatro fez, entre outras peças, Democracia e encenou O Método de Gronholm. Em televisão, destaque para Vila Faia (1982), Roseira Brava (1995), Vidas de Sal (1996), Todo o Tempo do Mundo (1999) Ana e os Sete (2003), Mistura Fina (2004), Podia Acabar o Mundo (2008-2009).
No cinema há a salientar Corrupção (2007), Call Girl (2008), A Esperança Está Onde Menos se Espera (2009).
Como apresentador de televisão estreou-se em Isto Só Vídeo. O romance O Último Navegador marca a sua estreia na escrita.

Virgílio castelo, que já esteve à frente da direcção da NBP, ganhou um Globo de Ouro na categoria para Melhor Actor pelos desempenhos nas peças Partitura Inacabada e Encontro com Rita Hayworth.

Da vida pessoal do actor fazem parte quatro casamentos, o mais mediático com a actriz Alexandra Lencastre, e três filhas: Tâmara, fruto da sua união de sete anos com Maria de Fátima Melo, e Violeta e Sancha, filhas da fotógrafa Maria Lucena, sua actual mulher.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras