Nas Bancas

Xutos & Pontapés distinguidos no Coliseu dos Recreios

'30 Anos à Nossa Maneira' valeu à banda o Globo de Ouro de Melhor Grupo de 2009.

Andreia Guerreiro
23 de maio de 2010, 22:46

Que melhor prémio poderiam os Xutos & Pontapés receber para além do caloroso apoio do público em cada concerto, ao fim de 30 anos de carreira? Essa é com certeza a melhor recompensa pelo trabalho ao longo de todos estes anos, mas a CARAS e a SIC também decidiram distinguir a banda de Tim, Zé Pedro, Kalu e João Cabeleira na XV Gala dos Globos de Ouro, com o galardão de Melhor Grupo.



A estreia foi dia 13 de Janeiro de 1979 nos Alunos de Apolo para comemoração dos 25 anos do rock & roll. Os Xutos & Pontapés, na altura com Tim, Zé Pedro, Kalu e Zé Leonel (que mais tarde foi substituído por Francis e mais tarde por João Cabeleira) fizeram furor. Em 1982 lançam o primeiro disco 78/82. Um ano depois Gui entra para a banda. Na altura já João Cabeleira fazia parte. Gravam Cerco, Circo de Feras e 88.

Nesta altura ainda todos trabalhavam. Tim estudava Agronomia, Kalu trabalhava numa fábrica de cortiça e Zé Pedro também tinha o seu emprego. Foi quando perceberam que os Xutos tinham pernas para andar. Entraram na década de 90 um bocadinho a medo, mas depois ninguém os conseguiu parar.

Gritos Mudos é o primeiro disco dessa década e não foi muito bem recebido. Os Xutos tinham que redescobrir um rumo. Seguem-se Dizer Não de Vez, Direita ao Deserto, Dados Viciados e Tentação, o álbum que acaba por servir de banda sonora para o filme com o mesmo nome realizado por Joaquim Leitão, que, contente com o resultado, desafiou-os anos mais tarde para gravarem um tema para o seu novo filme. Os Xutos gravaram Inferno, o título do filme.

Em 1999, para assinalarem os 20 anos de uma carreira com sucessos imensuráveis, dão mais de 80 concertos, numa digressão que percorre o país. XIII aparece em 2001.

2004 é mais um ano de glória. Fazem 25 anos de existência. Gravam Mundo ao Contrário, actuam no Rock in Rio Lisboa, dão dois concertos que têm lotação esgotada no Pavilhão Atlântico, e ainda são agraciados com a Ordem de Mérito pelo Presidente da República Jorge Sampaio.

2005 é mais um ano para digressões. No ano seguinte lançam um dvd triplo que conta toda a história de 'vida' desta banda emblemática.

Entre esse ano e 2009 não entram em estúdio para gravar, mas tocam pelo país inteiro. Voltam ao Rock in Rio em 2006 e 2008.

No ano passado festejaram 30 anos de uma carreira preenchida com êxitos. Começou com o lançamento do cd Xutos & Pontapés e culminou com um concerto no Estádio do Restelo para 40 mil pessoas, que ficou na história da música portuguesa. Pela grandiosidade e pela genialidade da banda.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras