Nas Bancas

jj.jpg

CARAS

Jorge Jesus perde campeonato, mas ganha Globo de Ouro

O treinador de futebol voltou a ver o seu trabalho reconhecido na Gala do Ano.

CARAS
16 de maio de 2016, 00:56

Jorge Jesus foi novamente agraciado pela CARAS e a SIC com o galardão de Melhor Treinador, na XXI Gala dos Globos de Ouro, pelo trabalho desenvolvido ao longo do ano de 2015. Antes de trocar o clube da Luz pela equipa de Alvalade, o técnico conquistou o campeonato com o Sport Lisboa e Benfica pelo segundo ano consecutivo.

Natural da Amadora, onde nasceu a 24 de julho de 1954, Jorge Fernando Pinheiro de Jesus tem, desde sempre, estado ligado ao futebol. O seu pai, Virgolino Jesus, também era jogador e chegou mesmo a defender as cores do Sporting Clube de Portugal durante duas épocas.
Decidido a seguir as pisadas do pai, Jorge Jesus entrou para a equipa de juvenis do Estrela da Amadora. Seguiu depois para o Sporting, onde jogou durante um ano até terminar a sua formação.
1973/74 foi a sua primeira época como sénior e vestiu a camisola do Peniche, clube da 2.ª Divisão onde jogou por empréstimo. Na temporada seguinte foi novamente emprestado, desta vez ao Olhanense, que estava na 1.ª Divisão. Destacou-se e conseguiu que o Sporting lhe desse uma oportunidade na época seguinte. Defendeu a equipa de Alvalade durante 12 jogos, tendo apenas sido titular numa ocasião, e marcou um golo com a camisola verde e branca. Os maus resultados da equipa fizeram com que houvesse uma remodelação do plantel e Jesus acabou por ser transferido para o Belenenses. Passou depois por vários clubes, entre os quais a Juventude, a União de Leiria, o Vitória de Setúbal, o Farense, o Benfica de Castelo Branco e o Almancilense.
A carreira de Jorge Jesus como jogador terminou quando tinha 35 anos e foi precisamente nessa altura que começou a trabalhar, quase de imediato, como treinador. Esteve à frente do Amora durante quatro épocas, orientou depois o Felgueiras, o União da Madeira e em 1998/1999 regressou ao clube onde deu os primeiros passos no futebol, o Estrela da Amadora, onde esteve durante dois anos. Passou depois para o Vitória de Setúbal, também com propósito de conseguir que o clube subisse para a 1.ª Divisão, e foi feliz já que bastou apenas uma época para alcançar o objetivo.
O novo regresso ao clube da Amadora deu-se em 2002/2003, que se encontrava então na 2.ª Divisão e precisava de Jesus para subir. Mais uma vez, objetivo cumprido.
Surgiu depois o convite para treinar o Vitória de Guimarães, um clube com uma maior dimensão. Jesus aceitou mas não permaneceu na Cidade Berço durante muito tempo porque os resultados ficaram aquém das expectativas. Passou então para o Moreirense, onde também não foi feliz, tendo o clube sido despromovido nessa época.
A época de 2005/2007 foi passada no União de Leiria e a seguinte no Belenenses. Os resultados foram positivos para ambas as equipas: a primeira chegou ao fim do campeonato no 7.º lugar e a segunda em 5.º com um lugar na Taça UEFA e na Taça de Portugal.
Em maio de 2008, Jorge Jesus foi apresentado como treinador do Sporting Clube de Braga, clube que levou aos oitavos-de-final da Taça UEFA e à vitória da Taça Interloto.
Na época seguinte surgiu o interesse do Benfica em Jesus e, depois de um acordo com o Braga, o técnico assinou com os encarnados. Prometeu um título e “bom futebol” e cumpriu: o Benfica conquistou na época de 2009/10 o 32.º Campeonato Nacional e a Taça da Liga e chegou aos quartos-de-final da Liga Europa.
Em 2010, o técnico renovou o contrato com o clube da Luz, tornando-se no treinador mais bem pago do campeonato português, com um salário anual estimado em mais de 2,4 milhões de euros, segundo a imprensa especializada.
Na época seguinte (2011/2012) não teve tanto sucesso, mas alcançou, ainda assim, uma Taça da Liga e chegou às meias-finais da Liga Europa. Tornou-se também no treinador benfiquista com mais vitórias em competições da UEFA, batendo a marca de Sven-Goran Eriksson num jogo contra o Otelul Galati para a fase de grupos da Liga dos Campeões. Levou também o Sport Lisboa e Benfica ao oitavo lugar do ranking dos melhores clubes do mundo, elaborado pela Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol (IFFHS). Esta época terminou com a terceira vitória consecutiva na Taça da Liga, o segundo lugar no Campeonato Nacional e os quartos-de-final da Liga dos Campeões, onde foi eliminado pelo Chelsea, que viria a sagrar-se campeão europeu.
Em 2012/2013, Jesus levou os encarnados final da Liga Europa da UEFA, feito festejado na Luz, já que o clube não chegava a uma final europeia desde 1989/90.
A época de 2013/14 começou com uma derrota frente ao Marítimo, mas a partir daí o Benfica não voltou a perder para o Campeonato em 28 jogos. A equipa conseguiu ainda a maior sequência de vitórias, onze. A 20 de abril de 2014, Jorge Jesus venceu o segundo campeonato português da sua carreira e o 33.º título de campeão nacional do Benfica, estabelecendo um novo recorde nacional. Nesse mesmo ano, a 7 de maio, a equipa conquista a Taça da Liga frente ao Rio Ave, sete dias depois perde nas grandes penalidades a final da Liga Europa frente ao Sevilha e quatro dias depois Jorge Jesus ganha a sua primeira Taça de Portugal, a 25.ª do Benfica. A 10 de agosto, a equipa ganhou ainda a Supertaça, mostrando que 2014 foi, sem dúvida, um grande ano para os encarnados.
Já em 2015, a 17 de maio, o treinador conduziu a equipa da Luz ao 34.º Campeonato Nacional, vitória alcançada na penúltima jornada da I Liga.
Jorge Jesus é conhecido pela sua autoconfiança e impulsividade. Terão sido estas as características que o levaram a aceitar o convite do presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, a trocar o clube encarnado numa fase de glória, pela equipa de Alvalade, a atravessar uma crise. “Saí de um clube depois de seis anos e no qual ganhei vários títulos. E abraçar outro projeto no Sporting, que leva 14 anos sem ganhar o campeonato, atraiu-me. Não estava interessado em sair de Portugal devido a uma razão sentimental», referiu, explicando depois qual”, explicou na altura ao jornal espanhol Marca. O contrato assinado tem duração prevista de três anos e valeu seis milhões de euros.
Certo é que o Sporting recuperou o ânimo perdido nos últimos anos e terminou esta época no segundo lugar do campeonato, atrás do Benfica, que se sagrou este bicampeão domingo.
Hélio Lucas / José Sousa (Canoagem), João Ganso (Atletismo) e Mário Narciso (Futebol de Praia)

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras