Nas Bancas

André Villas-Boas

André Villas-Boas

Reuters

Melhor Treinador: André Villas-Boas

Esta é a sua primeira nomeação para os Globos de Ouro nesta categoria. Em 2011 foi eleito Revelação do Ano.

Redação CARAS
14 de maio de 2012, 18:45

Luís André Pina Cabral Villas-Boas, mais conhecido por André Villas-Boas, nasceu no Porto em 1977 e é bisneto do Visconde de Guilhomil. Aos 16 anos, já observava os jogos com olhos de analista, tendo escrito uma carta a Bobby Robson na qual sugeria que o inglês, então treinador principal do Futebol Clube do Porto, investisse mais em Domingos Paciência, seu ídolo da juventude.
Passou pelos escalões de formação do FC do Porto, precisamente a convite de Bobby Robson, no papel de olheiro e trabalhando como treinador dos iniciados e segundo treinador dos juvenis, altura em que conheceu José Mourinho.
Assim que terminou o 12.º ano com o objetivo de ingressar na faculdade, na área de letras, decidiu mudar o rumo da sua vida e apostar exclusivamente no futebol, completando diversos cursos de treinador, um na Escócia e outro em Inglaterra.
Aos 21 anos ingressou no futebol internacional, como diretor técnico da seleção das Ilhas Virgens Britânicas e no final do contrato regressou ao Futebol Clube do Porto.
De 2003 a 2008 trabalhou com José Mourinho, no Porto e no Chelsea, tornando-se um dos responsáveis pelo sucesso daquele que é considerado por muitos o melhor treinador do mundo, através das suas análises aos adversários e observação de jovens promessas. Mais tarde, quando o Special One se mudou para o Inter de Milão, torna-se seu treinador-adjunto.
Em 2009, entendeu que poderia voar mais longe e decidiu dar um novo rumo à sua carreira, aceitando o convite para ser treinador principal do Académica de Coimbra, com o objetivo de melhorar posição da equipa no campeonato.
Foi anunciado oficialmente como o novo treinador do Futebol Clube do Porto em junho de 2010, substituindo Jesualdo Ferreira. Em agosto do mesmo ano, arrecadou o seu primeiro prémio, a Super Taça Cândido de Oliveira. Venceu depois o Campeonato Nacional, a Taça de Portugal e a Liga Europa.
Em janeiro de 2011, foi considerado como o 4.º melhor treinador de futebol do mundo num ranking anual publicado pela Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol.
O seu sucesso ultrapassou fronteiras e alguns clubes estrangeiros como o Roma, a Juventus e o Liverpool mostram interesse em contratá-lo. Contudo, quando deixou o Futebol Clube do Porto, em junho de 2011, André Villas-Boas rumou ao Chelsea, clube que treinou até março deste ano, altura em que o clube londrino considerou que os resultados obtidos não permitiam que continuasse o seu trabalho. Em 40 partidas oficiais, Villas-Boas conseguiu 19 triunfos, 11 empates e saiu derrotado 10 vezes.
Atualmente o treinador português encontra-se desempregado e na imprensa desportiva fala-se na hipótese de vir a treinar um clube italiano.
André Villas-Boas recebeu em 2011 o Globo de Ouro de Revelação do Ano, um prémio atribuído pelo público. Este ano está na corrida ao galardão de Melhor Treinador, juntamente com Domingos Paciência, José Mourinho e Mário Palma.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras