Nas Bancas

Xutos & Pontapés agraciados com Prémio de Mérito e Excelência

Pela primeira vez este galardão foi entregue a várias pessoas, já que até agora apenas distinguiu uma personalidade.

Redação CARAS
19 de maio de 2014, 01:17

Fez-se história na XIX Gala dos Globos de Ouro. Pela primeira vez, o Prémio de Mérito e Excelência não foi entregue a uma única personalidade, mas sim a várias pessoas e, neste caso, a todos os elementos que dão vida aos Xutos & Pontapés há 35 anos. O galardão foi entregue aos senhores do rock português por Francisco Pinto Balsemão, enquanto a plateia aplaudia de pé. “Queria agradecer ao Dr. Pinto Balsemão, à SIC e à CARAS por este prémio tão distinto que nos faltava na nossa carreira. Estes 35 asnos não teriam sido possíveis sem os nossos fãs, porque nos apoiaram nos momentos difíceis e nos momentos grandes como os de hoje”, começou por dizer Zé Pedro, que se assumiu porta-voz do grupo. Ficou também um agradecimento a todos os técnicos que têm acompanhado a banda ao longo destes anos.
Apaixonado, Zé Pedro não poderia deixar de agradecer especialmente à sua “lindíssima mulher Cristina pela sua ajuda”, aos familiares e amigos e a todos os médicos que o ajudaram a ultrapassar os graves problemas de saúde. “É um prazer enorme tocar nos Xutos & Pontapés”, concluiu o músico perante os fortes aplausos de todos os presentes.

Tim, Zé Pedro, Kalú e Zé Leonel juntaram-se no final de 1978 e formaram os Xutos & Pontapés. O primeiro concerto aconteceu a 13 de janeiro de 1979, com Zé Pedro na guitarra, Tim no baixo, Kalú na bateria e Zé Leonel como vocalista.
Em 1981, com a saída de Zé Leonel e a entrada do guitarrista Francis o trabalho de voz passa a ficar a cargo de Tim. Dois anos depois foi a vez do guitarrista abandonar o grupo, tendo sido substituído por João Cabeleira. Mãe, Homem do Leme e Barcos Gregos são alguns dos temas que marcam esta época.
Contudo, foi só em 1987, com o lançamento do álbum Circo de Feras - com os temas Contentores e Não Sou o Único – que chegou o sucesso. E no ano seguinte os êxitos À Minha Maneira, Para Ti Maria e Enquanto a Noite Cai a banda continuou a conquistar o público.
A década de 90 fica marca por uma fase menos boa para o grupo, já que os seus membros começaram a apostar em outros projetos. Tim integrou os Resistência, Zé Pedro e Kalú abriram o bar Johnny Guitar e integraram a banda de Jorge Palma (Palma's Gang), com Flak e Alex, ambos dos Rádio Macau. No entanto, os Xutos & Pontapés continuaram a lançar álbuns: Dizer Não de Vez (1992) e Tentação (1998).
Em 1999, ano em que comemoraram vinte anos de carreira, deram cerca de oitenta concertos no âmbito da digressão XX Anos Ao Vivo.
Marcos incontornáveis do rock português, os Xutos & Pontapés foram agraciados em 2004 com o grau de Comendador da Ordem do Mérito pelo então Presidente da República, Jorge Sampaio. Nesse mesmo ano, celebraram os 25 anos de carreira com dois espetáculos no Pavilhão Atlântico, em Lisboa, e cinco anos depois, a data foi comemorada com um concerto no estádio do Restelo.
2012 ficou marcado pelo lançamento do disco O Cerco Continua, um álbum em que as músicas antigas foram revisitadas.
Em março último, os Xutos & Pontapés comemoram os 35 anos de atividade num concerto que reuniu mais de 17 mil pessoas. A banda surpreendeu ao entrar para o palco pela plateia, passando pelo meio do público. E essa parece ser mesmo o segredo da receita para o sucesso: a proximidade com o público de todas as idades.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras