Nas Bancas

Feminilidade e elegância na passadeira vermelha

Vanessa Oliveira, Rita Andrade e Andreia Rodrigues, apresentadoras do 'Fama Show', vão estar na passadeira vermelha a entrevistar os convidados da XVII Gala dos Globos de Ouro, organizada pela CARAS e pela SIC.

Marta Mesquita
13 de maio de 2012, 13:00

A festa dos Globos de Ouro começa na passadeira vermelha, por onde desfilam centenas de convidados exibindo as suas toilettes cuidadosamente escolhidas para a noite mais glamorosa do ano. Vanessa Oliveira, Rita Andrade e Andreia Rodrigues vão estar na passadeira vermelha a dar as boas-vindas às várias personalidades presentes na gala. A CARAS conversou com as apre­sentadoras do Fama Show, que revelaram como se preparam para esta grande noite de festa.
– Estando a trabalhar na noite dos Globos de Ouro, conseguem desfrutar da festa?
Vanessa Oliveira
– É uma noite de muito trabalho, mas é também um momento em que nos sentimos como princesas. No dia a seguir à gala do ano passado já estava a pensar no que queria vestir este ano! É aquela noite que se prepara com muita antecedência, com cuidado. Até parece que me vou casar!
Andreia Rodrigues – O foco é sempre o trabalho, mas também conseguimos desfrutar da festa. E é impossível não nos deixarmos envolver pelo brilho, pela alegria e pelo espetáculo.
– E tal como no Fama Show, estão a trabalhar juntas. Gostam de usufruir desta noite entre colegas?
Rita Andrade
– Temos uma ótima re­lação, damo-nos bem e apoiamo-nos em todas as situações. Sabemos que podemos contar umas com as outras.
– É fácil escolher um vestido para a gala?
Vanessa –
O mais importante é sentir-me bem comigo e gostar do vestido. Tento ver quais são as cores que me ficam melhor ou que podem ser menos usadas. Mas o ano passado este raciocínio não deu resultado, porque levei um vestido vermelho e foi uma das cores mais usadas!
Andreia – Todas nós gostamos de vestir modelos bonitos, longos, e em Portugal temos poucas ocasiões para usar um vestido assim, por isso é que há tanta azáfama à volta desta noite. Mas não sofro com a escolha do vestido e tento ser o mais prática possível. Trabalho com a stylist Joyce Doret, que me ajuda bastante. Ela é que me dá todas as dicas. Gosto de vestidos simples, com algum brilho e que valorizem a silhueta.
Rita – Este ano foi muito fácil escolher o vestido! Entrei no ateliê de José António Tenente e foi amor à primeira vista! Posso dizer que é uma criação inspirada na natureza. Nesta noite, o modelo que usar tem de me fazer sentir bem, elegante e forte.
– Gostam de sobressair na passadeira vermelha?
Andreia
– Gosto de sobressair pela simplicidade, não que reparem em mim por estar espampanante.
Vanessa – Gosto que achem que estou bo­nita, mas não necessariamente de sobressair.
– Acredito que já vos tenham sucedido episódios engraçados na passadeira vermelha...
Andreia
– Quando uma mulher anda com um vestido comprido de um lado para o outro há sempre situações engraçadas...
Rita – No ano passado, a poucos minutos do direto começar, tive de pedir ao estilista que me desse uns pontos no vestido, porque estava demasiado largo nas costas!
– Comentam entre vocês os vesti­dos que vão usar?
Vanessa
– Claro. Combinamos sempre as cores para não nos repetirmos. Gostamos de ir todas lindas e maravilhosas.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras