Nas Bancas

A escolha de... João Montez

Começou na rádio, mas tinha a televisão como meta. Hoje é apresentador e ator.

CARAS
16 de outubro de 2016, 18:00

Licenciado em Comu­ni­cação Social e Cultural, João Montez queria tra­balhar em televisão, mas começou pela rádio, primeiro na Cidade FM, depois na MEO SW. O gosto por televisão e cinema levou-o a frequentar o Conservatório durante dois anos e a tirar o curso de Representação para Televisão e Cinema em Los Angeles. De regresso a Portugal, foi um dos apresentadores do Ora Acerta, na TVI, onde tem uma rubrica quinzenal de lifestyle e bem-estar no Você na TV. Como ator, tem entrado em várias produções nacionais, entre elas Bem-Vindos a Beirais e Mar Salgado.
O Restaurante: Duplex

Um dois em um, no Cais do Sodré, perto da emblemática rua Cor de Rosa. Como o próprio nome sugere, funciona como restaurante no piso superior e é também um bar, no rés-do-chão. Seja num jantar a dois ou simplesmente a beber um copo com amigos, o ambiente que se vive por ali é inigualável. É um dos sítios que mais frequento e do qual guardo bons momentos. Sem dúvida, um dos melhores sítios de Lisboa!
A Viagem: Los Angeles

Durante anos foi a minha casa e as saudades são mais do que muitas! Principalmente, saudades do estilo de vida completamente ligado ao espectáculo, seja cinema, teatro ou os famosos concertos e talk shows, a programação é imensa e envolve a cidade por completo. Foi precisamente o que me fez aprender muito e sentir que o meu futuro teria que passar pela televisão. E depois, claro, pelo pôr do sol em Santa Mónica e os fins de semana em Laguna Beach.
A Exposição: “Dissecção”

Sou fã de todo o tipo de arte, mas as minhas vivências fazem com que goste especialmente de arte urbana. A forma como o Vhils trabalha e os meios que utiliza é, realmente, surpreendente. E, para além da execução, ele é um artista mágico na criação. Um dos grandes artistas nacionais que, na minha opinião, é um referência nos dias de hoje. Um cartão postal para Portugal!
O Livro: “O Velho e o Mar”

A simplicidade da história é o que me apaixona neste livro de Ernest Hemingway. Um clássico que sempre tive curiosidade de ler e, quando finalmente o fiz, entendi que a essência do mesmo vai muito ao encontro das minhas convicções pessoais. A palavra de ordem da minha vida: perseverança!
O Espetáculo: “Roubo de Identidade”

Houve muitos espetáculos a marcar-me, mas o Roubo de Identidade, do Luís Franco-Bastos, impressionou-me pela qualidade da performance. A versatilidade do Luís, aliada à incrível capacidade que ele tem, não só de imitar, mas de prender o público, é extraordinária. A repetir!

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras