Nas Bancas

Morreu Argentina Santos, a rainha do "fado castiço"

Tinha 95 anos.

18 de novembro de 2019, 11:01

Morreu esta segunda-feira, 18 de novembro, a fadista Argentina Santos. Tinha 95 anos. Nasceu a 6 de fevereiro de 1924 no bairro da Mouraria, em Lisboa, e chegou ao fado de forma peculiar, talvez por “mero acaso”, já que entrou na Parreirinha de Alfama, em Lisboa, para assumir o papel de cozinheira e não de fadista.

Mais tarde, já em 1950, comprou aquela casa, que permanece como um dos locais mais puros do fado. Celebrizou temas com “Chico da Mouraria”, “Lisboa Casta Princesa” e “Duas Santas” e é considerada uma das últimas intérpretes do fado castiço. Retirada dos palcos desde abril de 2015, viajou pelo mundo a cantar, visitando o Brasil, França, Grécia, Holanda, Itália, Reino Unido e Venezuela.

O estilo interpretativo da "Tia Argentina", como era carinhosamente tratada, caracterizava-se "por uma expressividade intensa" que construía "através da ornamentação, da acentuação, da introdução de suspensões longas nas palavras-chave que [preenchia] com melismas cantados em pianíssimo, sobretudo no registo agudo", lê-se na "Enciclopédia da Música em Portugal no Século XX". Serviu de inspiração para muitas e diferentes gerações de músicos ligados ao fado.

Recebeu, em 2015, o “Prémio Carreira”, nos Prémios Amália Rodrigues entregue pela fundação homónima. Foi agraciada com a comenda da Ordem do Infante em 2013 pelo então Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva.

Recorde a voz de Argentina Santos!

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras