Nas Bancas

De visita a Lisboa, Cindy Crawford admite: “Não gostei de fazer 50 anos”

A ex-modelo americana, de 53 anos, veio a Portugal a convite da Omega e Cláudia Vieira mostrou-lhe a capital.

Joana Carreira
30 de março de 2019, 11:59

O sol e a paisagem lisboeta estiveram no seu esplendor máximo para receber Cindy Crawford. A ex-manequim norte-americana, que fez parte da era de ouro das supermodelos, os anos 90, ao lado de Naomi Campbell, Claudia Schiffer, Linda Evangelista e Helena Christensen, esteve em Portugal pela primeira vez a convite da Omega, marca de relógios da qual é embaixadora há 24 anos, e passeou na zona ribeirinha com a atriz Cláudia Vieira, já que é amiga da marca.
Entusiasmada com este convite, Cindy ficou rendida à beleza do nosso país. “Já tinha ouvido falar muito de Portugal. Tenho amigos que já cá vieram. Não me desapontou, sem dúvida. Tive tempo para passear e desfrutar da cidade. O Castelo de São Jorge, o Panteão Nacional e o Mosteiro dos Jerónimos são magníficos. E os pastéis de Belém são ótimos! [Risos.] Também estive em duas lojas muito típicas, que me provocaram alguma nostalgia”, contou aos jornalistas.
Casada com o empresário Rande Gerber e mãe de Presley, de 19 anos, e da modelo Kaia, de 17, a antiga manequim é dona do seu tempo e nada foge ao que foi planeado na sua rotina diária. “Sou muito organizada e chego sempre a horas. Sinto que é assim que consigo gerir as coisas que quero fazer. Tenho os meus dias planificados ao pormenor. Às vezes é difícil, porque o meu marido é exatamente o contrário. [Risos.] O Rande é mais de se deixar ir, sem ansiedades. O meu filho é parecido com ele e a Kaia parecida comigo”, confessou, mostrando-se orgulhosa do percurso dos filhos. “Acho que a lição mais importante que a Kaia pode tirar do mundo da moda é a forma como se trabalha. Chegar a horas e preparada é essencial. Ela trabalha muito e quer muito provar que não conseguiu as coisas por minha causa.”
Aos 53 anos, e com uma forma física invejável, Cindy Crawford admite que não tem segredos de maior, mas a genética desempenha um papel muito importante. “Tenho muita sorte. A minha avó tem 96 anos e passeia todos os dias. Até lê e-mails. A minha mãe é superativa e faz tudo. Depois, tem tudo a ver com os nossos cuidados. Não fumo, bebo apenas socialmente e comecei a fazer exercício físico muito cedo, aos 20 anos. Lembro-me que antes de ser modelo andava sempre muito bronzeada, o que era muito difícil de disfarçar com a maquilhagem. Por isso comecei a usar protetor solar cedo. Acho que todas essas coisas contribuíram para a forma como estou agora”, explicou.
Sobre se o passar dos anos a assusta, Cindy foi perentória na resposta. “Não estava propriamente ansiosa por chegar aos 50, mas penso que, quando temos uma relação estável, fazemos o que gostamos, temos bons amigos e cuidamos de nós, é mais fácil encarar a idade. A minha carreira foi na indústria da moda, que está muito centrada no ideal de juventude. Gostei de fazer 40 anos, 50 já não. Mas no dia a seguir passou e está tudo bem.”

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras