Nas Bancas

_RCS4237.jpg

Ricardo Santos

Ruben Rua confessa: “Gostava de ter uma namorada, tenho tempo para o amor”

Sem medo de expor vulnerabilidades, o apresentador e modelo revelou o que espera conquistar na vida.

Marta Mesquita
18 de fevereiro de 2019, 08:44

A meio da sessão fotográfica, Ruben Rua dirige-se para a Rua da Horta Seca, no Chiado. Quando o veem, duas raparigas põem-se à porta da pastelaria, a cochichar. Ao aperceber-se, o modelo sorri-lhes e atira um “olá”. Confiante, vai para o meio da estrada, aconchega-se no casaco e põe a mão no bolso. Sem carros no horizonte, posa para a objetiva. É caso para dizer que Ruben para mesmo o trânsito.
Se o seu charme é inegável – que o digam as duas admiradoras da pastelaria e os cerca de 255 mil seguidores do Instagram –, o modelo e apresentador é muito mais do que uma cara bonita. Na moda, na apresentação, nas parcerias que tem feito e até no mundo digital, Ruben tem dado um passo de cada vez. Nada tem sido fácil, mas a verdade é que está a chegar onde muitos só sonham. Prova disso foi a oportunidade que surgiu recentemente de apresentar, ao lado de Fátima Lopes, o programa First Dates, na TVI.
Nesta manhã passada no centro de Lisboa, Ruben trocou o papel de barman confidente pelo do homem de quase 32 anos que não receia expor as suas fragilidades e contar como lida com as desilusões. Nesta conversa, houve ainda lugar para partilhar conquistas e sonhos, aqueles que lhe dizem que por aqui é que é o caminho.

– Está a coapresentar uma das grandes apostas da TVI. Como está a correr?
Ruben Rua – Foi uma oportunidade inesperada. É um formato muito bom, que já foi premiado, e acredito que funcione em Portugal. Tudo se passa num restaurante. A Fátima é apresentadora e chefe de sala e eu, além de apresentar, também sou barman e tenho mesmo de fazer as bebidas e servir as pessoas. Está a correr muito bem.

– Foi a Cristina Ferreira que apostou em si. Agora está a trabalhar com a Fátima Lopes. Sente que também conseguiu criar uma certa cumplicidade com esta nova parceira?
– Comecei a trabalhar na TVI com a Cristina, não me esqueço disso, e todos sabem a amizade que temos. Acho que seremos sempre muito amigos. Não conhecia a Fátima muito bem, mas tinha boas expectativas, até porque tudo o que faz é excelente e tem uma carreira irrepreensível. E agora que a conheço só posso dizer que tem sido muito bom trabalhar com ela. Gravamos muitas horas e acabamos por ter uma relação para lá das câmaras e sem dúvida que conseguimos criar essa química. A Fátima tem sido generosa e neste meio nem todos o são, sobretudo perante alguém mais inexperiente. Deu-me tempo e espaço, permitiu-me que também fosse apresentador e que partilhasse as minhas ideias. Tenho muita vontade de continuar a trabalhar com ela. Quem sabe se esta dupla Fátima/Ruben não será um sucesso?

– Diz que a Fátima lhe deu espaço. Sente que, por ser um homem bonito que veio da moda, nem sempre é fácil mostrar que é mais do que isso?
– Nem sempre é fácil mostrar que sou mais do que um homem bonito, mas o tempo acaba por revelar quem somos e a vida acaba sempre por ser justa. Luto muito para concretizar objetivos. Nada me caiu do céu, tudo tem dado trabalho. Desde os tempos da escola. Quando comecei a minha carreira como modelo, só trabalhava lá fora. Só ganhei um Globo de Ouro, que queria muito, ao fim de cinco nomeações. Fui para a TVI em maio de 2016 e só agora é que as coisas parecem estar a arrancar. Na minha vida não há elevadores, tenho subido degrau a degrau, e isso é bom.

Leia esta entrevista na íntegra na edição 1226 da revista CARAS.
Assinatura Digital

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras