Nas Bancas

JLI_PedroLima-2798.jpg

João Lima

Pedro Lima: “gosto de tocar o coração das pessoas, de questioná-las”

O ator está em cena no Teatro Villaret com “Os Vizinhos de Cima”, uma peça que lhe é muito querida.

Andreia Cardinali
11 de dezembro de 2018, 11:50

Quando assistiu, em Madrid, à peça Os Vizinhos de Cima, com a sua mulher, Anna Westerlund, Pedro Lima percebeu de imediato que aquele texto tinha de ser “seu”. “Estou ligado a este texto desde a sua génese. Li-o sem preocupações de decorar, fui fazendo tudo com calma, e isto tudo começou há um ano. Esta é, sem dúvida, a peça de teatro com maior êxito que alguma vez fiz, já que está esgotada desde a estreia. Talvez porque é uma peça que nos diz muito a todos, pois põe as pessoas a pensar por que razão estão juntas”, explicou o ator.
E na altura já sabia com quem gostaria de partilhar o palco: Fernanda Serrano, Ana Brito e Cunha e Rui Melo. “Não é comum encontrar quatro atores que tenham uma noção tão forte de família e que saibam muito bem que os casamentos têm altos e baixos, muitos momentos de alegria. De facto, há períodos muito desafiantes na vida a dois e todos nós temos muita sensibilidade em relação aos temas abordados aqui, e acho que isso também ajuda em palco”, referiu Pedro.
Apesar de ser um apaixonado por teatro, o ator não tem preferências na sua forma de fazer arte: “Eu gosto é de fazer coisas boas, bem acompanhado, e, sobretudo, cumprir a função do artista, que é a de tocar o coração das pessoas, questioná-las, provocá-las, recuperar algumas memórias. E esperar que levem essas questões para casa, de forma a que isso as inspire e estimule a perceberem outras coisas.”

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras