Nas Bancas

_JNS1930-1.jpg

Joaquim Norte Sousa

Diana Chaves “também gosto de me sentir ‘sexy’, feminina e mais ousada”

A atriz e apresentadora dá a conhecer o seu lado mais misterioso na campanha do seu novo perfume.

Andreia Cardinali
11 de novembro de 2018, 12:04

À primeira vista, sobressai em Diana Chaves, de 37 anos, um ar angelical e caloroso. A atriz e apresentadora garante, no entanto, que também tem um lado sedutor e irreverente e confessa que até se sente mais confortável com pouca roupa, talvez porque foi nadadora de competição durante vários anos, durante os quais o seu dia a dia era passado em fato de banho. Assim, quando foi convidada pela Equivalenza para criar um segundo perfume com a sua assinatura, Lucky Me Black, que ilustrasse o seu lado mais ousado, Diana nem pensou duas vezes antes de aceitar. E apresenta-o agora, num momento profissional especialmente preenchido, já que acaba de estrear na SIC o programa Casados à Primeira Vista, que apresenta e que, garante, lhe assenta que nem uma luva, já que na sua vida o amor é a base de tudo. Um amor que encontra como principais destinatários o companheiro, César Peixoto, de 38 anos, e a filha de ambos, Pilar, de seis.

– Este perfume, que apresenta com uma campanha ousada, mostra uma Diana mais sensual do que é habitual vermos.
Diana Chaves – É verdade, é um lado meu que o público não conhece propriamente, uma vertente mais quente, mais misteriosa, mais ousada. [Risos.] Acho que todos temos várias facetas, e eu também tenho os meus momentos em que fujo da faceta mais conhecida, pois também gosto de me sentir sexy, feminina e mais ousada. Proporcionou-se, e achei que já estava na altura de mostrar este meu lado.

– E é uma faceta sempre presente, ou por vezes tem de a “despertar”?
– É verdade que com a correria do dia a dia descuramos por vezes esse nosso lado mais ousado, mas acho que é muito importante, de vez em quando, darmos atenção a todos estes pormenores. Habitualmente, eu e o César jantamos com os miúdos [referindo-se à filha, Pilar, e ao enteado, Rodrigo] e depois de os pormos a dormir conseguimos algum tempo a dois, em que podemos ser mais românticos. Claro que no dia a dia uso muito mais o meu lado de mãe e de pessoa pragmática, mas também tenho este lado de mulher sensual, caso contrário julgo que não estaríamos juntos há 11 anos.

– Quando fotografa campanhas em que expõe mais o corpo, como é o caso desta, sente-se segura? Ou mostrar o corpo desperta-lhe inseguranças?
– Isto pode parecer estranho, mas às vezes sinto-me mais confortável assim, porque fui nadadora durante muitos anos. Passei mais de metade da minha vida de fato de banho e a exposição do corpo não tem grande peso para mim. De certa forma, até me é mais natural ser fotografada com menos roupa, porque quando estou cheia de peças em cima sinto tudo mais artificial. Claro que me preocupo em “esticar-me”, para que tudo fique no sítio. [Risos.]

Leia esta entrevista na íntegra na edição 1212 da revista CARAS.
Assinatura Digital

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras