Nas Bancas

Grupo de caras conhecidas parte à descoberta da beleza açoreana

Durante um fim de semana, o Seat Surf Trip voltou a dar a conhecer o melhor da ilha de São Miguel.

Cláudia Alegria
6 de outubro de 2018, 12:53

Assumidamente apaixonado pelos Açores, Rodrigo Herédia reúne todos os anos por esta altura um grupo de caras conhecidas a quem dá a conhecer o melhor que as ilhas podem oferecer. Desta vez, o fim de semana em São Miguel incluiu a exploração de trilhos junto a rios e cascatas através da prática de canyoning, percursos de carro por estradas ladeadas de prados sempre verdejantes, com paragens em miradouros para conseguir obter as obrigatórias fotografias e, claro, algumas horas dedicadas ao surf, ou não fosse este um evento organizado por um antigo campeão que conhece como ninguém as ondas daquela ilha.
A primeira vez que viemos aos Açores foi precisamente na nossa lua de mel, há dois anos”, recorda João Paulo Sousa. “Já tínhamos ouvido dizer que era espetacular e decidimos vir comprová-lo. Partimos à descoberta e acabámos por fazer mil quilómetros numa semana. Explorámos a ilha, fizemos mergulho, que adoramos, percorremos trilhos de carro, outros de bicicleta, jogámos padel... As pessoas são espetaculares, as vistas são incríveis, a comida é maravilhosa, não dá para não voltar”, conta o apresentador, que acabou por regressar à ilha com a mulher, Adriana Gomes, a convite do Seat Surf Trip.
Menos aventureira é Joana Cruz que, ainda assim, não deixou de acompanhar o grupo em alguns dos desafios propostos neste fim de semana, como o rapel. “Nunca me tinha atirado de uma rocha e, se não fosse pelo grupo, não tinha feito aquilo de certeza absoluta. Não gosto muito de coisas que me ponham o estômago às voltas. Gosto de ter os pés bem assentes na terra. Mas, como diz o Pedro Guedes, usamos o #queselixe: respira-se e atiramo-nos”, admitiu a locutora da RFM que, mesmo no surf, tenta ser bastante cautelosa: “A minha relação com o surf já foi mais intensa, mas, no geral, brinco nas espumas. Como diz um amigo meu, surf é aquele que nos deixa felizes e nos diverte. Não é preciso correr riscos se não nos sentirmos seguros.”
José Carlos Pereira, por seu lado, há muitos anos que procura adrenalina nas ondas do mar. O ator, de 39 anos, não só se divertiu a surfar, como acabou por encontrar alguns dos seus maiores ídolos deste desporto, ao lado dos quais quis tirar fotografias, já que o evento coincidiu com o Azores Airlines World Masters Championships, igualmente organizado por Rodrigo Herédia. “Água quente, a 26 graus, boas ondas, e este campeonato com antigas lendas do surf, o que posso pedir mais? O surf, para mim, é mais convívio do que competição. Por isso, gostava que, um dia, o meu filho também praticasse este desporto”, afirmou o ator, referindo-se a Salvador, de um ano e nove meses, com o qual espera regressar aos Açores para lhe apresentar aquelas que são consideradas das melhores ondas do país.

Fotos: João Lima

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras