Nas Bancas

Grávida de uma menina, Bárbara Guevara recorda momento difícil

"A profunda dor em que me encontrei salvou-me a vida", garante.

CARAS
12 de setembro de 2018, 15:24

Bárbara Guevara está grávida pela segunda vez e anunciou aos seus seguidores nas redes sociais o sexo e o nome do bebé. Feliz pela chegada do segundo filho, a ex-radialista confirmou que se trata de uma menina à qual dará o nome de Diana. "Apresentamos um furacão chamado Diana! Tem sido absolutamente maravilhoso partilhar esta alegria em família. O Universo é generoso para quem vive na intenção do bem e no amor. E aqui está a divina", garantiu.

Na imagem é possível ver Bárbara junto ao companheiro, Alejandro Chávarro, satisfeitos com a novidade. Contudo, o longo texto continua com uma confissão de que terá vivido um aborto. "Dizem que a segunda gravidez é mais serena. E esta tem sido sem dúvida. Só que não é a segunda. É a terceira gravidez, apesar de só ter um filho. E tem sido emocionalmente serena graças aos avanços da medicina. Entre o meu filho Diego e a minha bebé Diana, estive grávida de um rapaz. Passava pouco das 12 semanas quando foi detetado um problema durante a ecografia. Tudo indicava para uma trissomia 18. Só que, visto já não estar dentro dos tempos legais para uma interrupção da gravidez, tive de me submeter a uma série de exames, entre os quais uma amniocentese, para que o conselho de ética da Maternidade Alfredo da Costa pudesse autorizar a interrupção. Pequeno detalhe: todos os exames tinham de ser feitos em semanas específicas de gestação, pelo que tive de estar mais de um mês à espera! Confirmou-se uma triploidia, com más formações e incompatível com a vida", conta.

Grávida de quase cinco meses na altura, recorda que foi "na Maternidade para um parto induzido, sem qualquer anestesia. A tortura psicológica da espera foi um horror pelo qual não queria voltar a passar. Volvidos uns anos, sou bafejada pela generosidade de mais uma gravidez. Só que desta vez, já com a oportunidade de poder fazer uma análise ao sangue, a partir das 10 semanas, que despista as más formações cromossomáticas e sexuais, com mais de 90% de sucesso. Além de dizer logo o sexo do bebé, para quem faz muito questão de saber".

Depois de uma experiência difícil e de dor, a mensagem que Bárbara deixa é de esperança: "Não há nada nesta vida que nos aconteça em que não possamos olhar de uma maneira mais positiva. Sem derrotismos. A profunda dor em que me encontrei salvou-me a vida. Foi graças a esse episódio que me tornei uma melhor versão de mim mesma. Tornei-me mais humana, compassiva, segura, fiel e orgulhosa de mim mesma. Tenho hoje a vida que sempre quis ter e sou a pessoa que sempre quis ser. Livre. E esta é, meninos e meninas, a beleza colateral da dor."

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras