Nas Bancas

Helena Costa RS8.jpg

Helena Costa: “Não tenho mágoas, fiz as pazes com o passado”

Terminadas as gravações da novela “A Herdeira”, em exibição na TVI, a atriz tem-se dedicado aos seus “hobbies.” Helena adora andar de mota, cuidar dos seus animais e fazer trabalhos manuais.

Marta Mesquita
9 de setembro de 2018, 12:07

Helena Costa fala pausadamente e baixinho. É doce nos modos e tem sempre um sorriso para quem a aborda, apesar de gostar de passar despercebida. Por isso, no dia a dia, a atriz, de 36 anos, prefere looks confortáveis, que lhe permitam cuidar dos seus animais e fazer desporto. Sem deixar de evidenciar o seu lado mais feminino, é uma assumida maria-rapaz e uma motoqueira destemida. Sem se esgotar num rótulo, é, acima de tudo, igual a si própria.
Depois de ter passado pela moda, Helena tem trilhado o seu caminho na representação sem pressas e sem se pôr em bicos de pés para sobressair. De projeto em projeto, tem construído uma carreira linear, que lhe deixa espaço para a vida pessoal, um equilíbrio que preserva ao máximo.
Ciosa da sua privacidade, Helena evita alimentar polémicas, esclarecendo que o fim da sua relação com Luís Matos Cunha, atual companheiro de Dânia Neto, não lhe deixou mágoas. Sem revelar se está apaixonada, é uma mulher feliz, como partilhou com a CARAS num final de tarde “sobre rodas”, no cabo Espichel.
– Hoje mostrou-nos o seu lado de motoqueira. Sempre gostou de motas?
Helena Costa – Herdei a mota da minha irmã quando tinha 15 ou 16 anos. E até ter a carta de carro andei sempre de mota. Por isso foi uma paixão que começou muito cedo. Há dois anos, fiz uma viagem de mota pela Europa e adorei. Foi aí que percebi que queria mesmo ter a minha própria mota.
– E sente aquela liberdade que muitos motociclistas descrevem?
– Sim, quando ando de mota sinto uma liberdade indescritível. É como se pudesse voar. É maravilhoso. Ouvir música enquanto andamos de mota é uma sensação única. E, depois, é muito prático. A mota estaciona-se em qualquer lado e chegamos muito mais depressa ao nosso destino.

– A Helena é reservada, discreta e até tímida. Contudo, a paixão pelas motas é associada a pessoas mais destemidas e rebeldes. Sente que é um bocadinho de tudo isso?
– Talvez... Sou eu própria. Sou muito destemida. Estudei Desporto e na altura até dizia que queria tirar um curso de Educação Física Radical. Também sempre fui maria-rapaz. Adoro andar de bicicleta, de mota, de patins…
– Olhando para si agora, ninguém diria que é uma maria-rapaz...
– Vejo as fotografias como um trabalho. Antes de fazer novelas, fiz muitas sessões fotográficas como manequim. Tanto uso saltos altos e um vestido como ando de mota. E sinto-me confortável nos dois cenários.

Fotos: Ricardo Santos

Leia esta entrevista na íntegra na edição 1203 da revista CARAS.
Assinatura Digital
Apple Store
Google Play

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras