Nas Bancas

_RCS8934.jpg

Ricardo Santos

Fernanda Serrano: “Sei que um dia vou voltar a ter mais tempo para mim”

A atriz, de 44 anos, falou sobre a maternidade e o casamento de 14 anos com Pedro Miguel Ramos.

Joana Carreira
2 de setembro de 2018, 16:09

É a paixão com que realiza tudo na vida que faz de Fernanda Serrano uma grande mulher. A família que construiu ao lado de Pedro Miguel Ramos, seu marido há 14 anos, é o seu bem mais precioso. E ver crescer os quatro filhos, Santiago, de 13 anos, Laura, de dez, Maria Luísa, de nove, e Caetana, de três, é o que move e orgulha a atriz, de 44 anos, que adora o seu papel de mãe.
Com uma carreira longa e cheia de sucesso na representação, e apesar de nunca descurar a família, Fernanda revela que já está na hora de voltar a pensar mais em si. “Às vezes, ainda me esqueço um bocadinho de mim. Sou a quinta lá em casa, quando chega a minha vez já não tenho paciência [risos]! Primeiro são os filhos, eu fico sempre para o fim”, confessa.
Este foi um bom pretexto para uma conversa intimista com a atriz, durante o making of da nova campanha da Majorica, marca de joias da qual é embaixadora há três anos.
– É uma mãe muito presente. Este sentido de proteção continua a ser o mais importante para si?
Fernanda Serrano – Uma pessoa que toma a decisão de ser mãe tem de ter consciência disso. Não é uma preocupação, é um fator inerente à responsabilidade. Ser mãe não é só gerar um bebé, é acompanhá-lo para sempre e, às vezes, há pessoas que se esquecem disso. Um filho é para a vida toda. Ter os meus filhos foi a decisão mais importante e mais responsável da minha vida, por isso mesmo, faço questão de ser uma mãe muitíssimo presente.
– O Santiago já está na adolescência E a Caetana tem três anos. É fácil gerir esta diferença de idades?
– Sim, é uma coisa perfeitamente normal. Todos ajudam um pouco, não muito [risos], porque são crianças, e isso deve e tem de ser respeitado. Estão a entrar cada um na sua fase: o Santiago na pré-adolescência, a Laura e a Maria Luísa ainda num ambiente controlado e a Caetana é uma bebé muito divertida e bem disposta, que necessita dos cuidados normais, mas nada de maior. Naturalmente, tenho de estar mais atenta ao Santiago, porque é uma etapa mais delicada
– É uma mulher e uma mãe exemplar. Onde vai buscar essa força?
– Não faço ideia, não tenho nenhum baú secreto [risos]. Nem me sinto uma fortaleza tão inatingível quanto isso. Mas para os meus filhos sou absolutamente imbatível e nunca delegarei em ninguém aquilo que considero ser minha responsabilidade enquanto mãe e tutora. Essa responsabilidade é minha, porque eu a decidi ter e a quero ter. Não quero que mais ninguém a tenha por mim, não faz sentido. Faz diferença quando assim é, para eles e para mim. A meu ver, são sentimentos inerentes a qualquer mãe.
– São uma família feliz?
– Somos uma família como qualquer outra, que tenta aprender e gerir o dia a dia da melhor forma, para que as coisas corram sempre bem.

Leia esta entrevista na íntegra na edição 2001 da revista CARAS.
Assinatura Digital
Apple Store
Google Play

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras