Nas Bancas

Carlos Paião: 30 anos sem a voz de um músico amado pelos portugueses

O cantor morreu na sequência de um acidente de viação a 26 de agosto de 1988.

CARAS
26 de agosto de 2018, 08:30

Carlos Paião morreu a 26 de agosto de 1988 na sequência de um acidente de viação e com ele silenciou-se para sempre uma voz amada pelos portugueses. A carrinha onde circulava embateu contra um camião que se deslocava no sentido contrário. Letrista por excelência, escreveu para si e para outros músicos e muitos são os que o recordam com saudade.

Este domingo completam-se 30 anos do seu desaparecimento. Desde pequeno que escrevia versos, dedicando-os aos pais, aos avós e àqueles que faziam anos, mostrando desde cedo que a generosidade era a sua imagem de marca. A Canção do Beijinho e O senhor extraterrestre, popularizados por Herman José e Amália Rodrigues respetivamente são disso exemplo.

Foi em 1980 que concorreu pela primeira vez ao Festival RTP da Canção, mas sem sucesso. Regressou à mesma competição musical em 1981 com o famoso tema Playback que, décadas depois, ainda é trauteado por gerações distintas. Cumpriu o pleno de participações no certame musical ao regressar em 1983 com Vinho do Porto, Vinho de Portugal, canção interpretada por Cândida Branca Flor. Pó de Arroz, Cinderela e a Marcha do Pião da Nicas são alguns dos seus maiores sucessos.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras