Nas Bancas

Seaside Cristina Ferreira LC16.JPG

Luis Coelho

Após saída da TVI, Cristina Ferreira reage publicamente pela primeira vez

A apresentadora de televisão acaba de mudar de estação.

CARAS
23 de agosto de 2018, 20:25

Cristina Ferreira reagiu publicamente pela primeira vez após ter sido noticiada a sua transição da TVI para a SIC, uma contratação da responsabilidade de Daniel Oliveira, que assumiu recentemente o cargo de Diretor-Geral de Entretenimento da Impresa.

Numa longa publicação na sua conta pessoal de Instagram, a ex-apresentadora de Você Na TV recorda palavras do seu livro intitulado Sentir que acredita expressarem na perfeição o momento que está a viver.

Consciente do peso da decisão tomada, inicia o seu texto lembrando que "todos nós fazemos escolhas diárias. Mas há umas tão importantes que sabemos que nos podem mudar a vida ou o seu rumo. Não gosto de demorar muito tempo a tomar decisões. Deixo à sorte, muitas vezes, o papel de boa conselheira. 'Quem muda, Deus ajuda.' O ditado é antigo e confio nessa sabedoria para fazer o meu caminho. Não costumo olhar para trás depois de decidir. E volto a uma frase do meu pai que me estruturou o pensamento: 'A cama que fizeres, nela te deitarás.' Ainda que o destino possa ter alguns planos, somos nós que optamos. Há sempre uma esquerda e uma direita. E eu acredito que, mesmo escolhendo a direcção errada, há sempre maneira de chegar ao destino final. Costumo dizer que até os becos sem saída permitem uma alternativa: voltar atrás. Essa segurança, ou forma de ver as coisas, tem-me ajudado a serenar na hora de escolher. Talvez ainda não tenha passado por uma decisão realmente difícil. Ou, então, não lhe dei a devida importância. Talvez seja a idade a trazer esse peso – ou essa leveza. Há pouco tempo, um primo dizia-me que aos 40 não se muda. Que um emprego de 18 anos se mantém, mesmo que não nos dê felicidade. 'Talvez até nem saiba fazer mais nada.' Este conformismo deixou-me a pensar. Sabemos nós desta vida que a outra ninguém ainda conseguiu provar."

Nas suas palavras que servem de incentivo a todos quanto querem mjudar de vida, Cristina pergunta: "Porque nos habituamos a uma vida que não é a nossa quando podemos escrever a nossa própria história e emprestar-lhe vários capítulos?" E logo em seguida responde à sua própria questão. "Talvez seja loucura o risco. Talvez os filhos nos acrescentem medo ao futuro. Mas é preciso ultrapassar esse medo. Talvez seja esta a mais dura batalha da vida. Nos últimos tempos tenho pensado muito nisso. Têm-me assaltado os medos de uma escolha difícil. E, ao mesmo tempo, tenho a certeza de que, aconteça o que acontecer, fui. Há dúvidas que me assombram", garante.

Transmitindo a ideia de estar certa da sua decisão, acredita que não perderia a oportunidade. "Estou certa de que não me perdoaria. Pior do que ir e ter que voltar é não ir e nunca saber onde se podia chegar", conclui.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras