Nas Bancas

O estilo e a boa disposição dos HMB numa animada manhã de compras

Os HMB foram recebidos por Manuel Vieira e Rosario Esposito na loja Antony Morato, onde aproveitaram para escolher algumas peças da nova coleção para os concertos e também para a noite dos Globos de Ouro, na qual foram distinguidos como Melhor Grupo.

CARAS
22 de julho de 2018, 13:06

Dias antes de receberem o Globo de Ouro para Melhor Grupo, os HMB estiveram no Porto, às compras, e a CARAS acompanhou esta manhã animada e atípica na vida destes cinco amigos. “Somos todos diferentes, na personalidade e fisicamente, e não tem sido fácil acertarmos com a imagem para cada ocasião. Temos de tentar encontrar peças para todos, de maneira a que, no final, a coisa fique coerente. Mas não é fácil. Cinco rapazes a escolher roupa demora algum tempo”, explicou Fred Martinho.
Considerado o mais fashionista da banda, o guitarrista dos HMB conhece bem o estilo dos colegas e, desafiado pela CARAS, faz uma rápida análise: “O Héber tem muito bom gosto, não só na música como na roupa, e qualquer coisa nele fica cheia de estilo. Já o Daniel é a peça mais difícil de articular, porque não liga muito à moda. O Joel, por sua vez, é um modelo e qualquer coisa lhe fica bem. É curioso porque ao longo dos anos é o que mais tem mudado de estilo, está menos formal. O Xavier? Basta ver as fotos. Tem um sentido apurado para a moda e desde miúdo que gostou sempre mais de comprar peças com qualidade do que aquelas que duram três meses.”
Dias depois desta visita à loja Antony Morato, no Mar Shopping, os HMB subiram ao palco do Coliseu dos Recreios para receber o segundo Globo de Ouro da carreira. “Foi a quarta vez que estivemos nomeados e a segunda que ganhámos. No ano passado vencemos o Globo de Ouro para Melhor Música com O Amor É assim, um dueto com a Carminho, e foi muito importante, porque nos fez acreditar que estávamos no caminho certo. Mas sermos eleitos Melhor Grupo foi muito gratificante para nós, este ano mais do que nunca”, avalia Fred Martinho, acrescentando: “Obviamente que não fazemos música para os prémios, mas é significativo recebê-los, porque é o reconhecimento do nosso trabalho.”
Em digressão com o terceiro álbum de originais, +, os HMB são dos grupos do momento em Portugal e ao vivo conquistam o público. Os concertos que deram no final de 2017, no Coliseu do Porto, e no início de 2018, no Campo Pequeno, para marcar a primeira década de carreira da banda, serão em breve editados digitalmente. Um best of das duas noites ao vivo que a banda está a preparar para partilhar com os fãs. “Foram noites de celebração brutais, que vão ficar para sempre na nossa memória”, lembra.
À Paixão, música do genérico da telenovela da SIC, segue-se um novo single, Tanto me Faz, que será lançado no final do verão. Com a agenda cheia de concertos, o grupo já pensa em 2019. “Já temos algumas músicas novas, mas ainda não definimos o que vamos fazer. Queremos voltar à raiz da nossa música, tentar purificar o processo. Às vezes ouvimos histórias de bandas que mudam depois de muita estrada e muito sucesso, e nós não queremos perder a nossa essência, o que nos trouxe até aqui. Acho que 2019 vai passar por aí, voltar à essência e redescobrir o nosso talismã”, concluiu Fred Martinho.
fotos: Joaquim Norte de Sousa

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras