Nas Bancas

JLI_BeatrizFrazao-5152.jpg

João Lima

Beatriz Frazão: “O que mais quero é ser atriz, sinto muitas vezes que estou a sonhar”

A jovem atriz volta a afirmar o seu talento na novela “Vidas Opostas”, da SIC, e mostra-se feliz com a oportunidade.

Vanessa Bento
21 de julho de 2018, 16:04

Os 14 anos de Beatriz Frazão não lhe restringem os sonhos. Bem pelo contrário. Com uma vontade imensa de provar o seu talento, francamente elogiado pelos atores com quem se cruza num set de gravações, Beatriz tem lutado com afinco para se afirmar como atriz. E depois de um projeto que a catapultou para o sucesso, e que a obrigava a cenas mais intensas e emocionais, a jovem atriz volta a conquistar o horário nobre com a telenovela Vidas Opostas, onde interpreta uma adolescente muito diferente daquilo que é na vida real. Neste novo desafio, tal como em todos os outros, Beatriz conta com o apoio incondicional dos pais, Lizete Conceição e Miguel Frazão, e dos irmãos, Bruna, de 11 anos, e Alex, de sete. Na realidade, o meio da ficção não é de todo estranho a Miguel Frazão, já que é duplo da Mad Stunts e integra com frequência projetos televisivos, fazendo parte, neste momento, do próprio elenco de Vidas Opostas. “É a segunda vez que estamos na mesma telenovela. Representar é a única coisa de que a Beatriz realmente gosta. E foi quando ela tinha uns oito anos que nós percebemos que este podia ser mesmo o caminho. Hoje já não há como o negar”, assumiu o pai da atriz no dia em que recebeu a CARAS em sua casa para esta sessão fotográfica.
– Depois de uma personagem tão intensa em Amor Maior, sabe-lhe bem fazer a Lucinha?
Beatriz Frazão – Sim, muito. Gosto bastante desta minha personagem, que é completamente diferente da anterior. Mas é muito mais difícil...
– Porquê?
– Porque para mim é sempre mais fácil fazer personagens que sejam mais dramáticas, e esta personagem não tem muitas cenas com essa carga dramática. E a Lucinha é mais convencida, mais “nariz empinado”, e isso não tem nada a ver comigo.
– Mas é bom fazer uma personagem completamente diferente, que lhe permite distanciar-se da imagem da Daniela? Para um ator deve ser importante, para não haver uma colagem entre personagens...
– Sim, isso é verdade. E também me preocupava o facto de as pessoas pensarem que eu só conseguia fazer um tipo de personagem, o que não é verdade. Queria muito mostrar a minha versatilidade, porque quero muito fazer carreira como atriz.

Leia esta entrevista na íntegra na edição 1195 da revista CARAS.
Assinatura Digital
Apple Store
Google Play

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras