Nas Bancas

_RCS3798.jpg

Ricardo Santos

júlia Belard “Achei que iria ser uma mãe mais tranquila”

Conhecida pelo olhar doce, a atriz, que se lançou nos “Morangos com Açúcar”, já fez várias novelas, entre elas “Mulheres” e “Água de Mar”.

Andreia Montes
13 de junho de 2018, 13:01

Os anos passam mas para a maioria dos portugueses Júlia Belard será sempre a Raquel de Morangos com Açúcar. A menina fez-se mulher, e aos 29 anos apresenta-se hoje mais confiante, numa nova fase da sua vida, mas sem perder a doçura que a caracteriza. Mãe de Matias, de 11 meses, fruto do seu relacionamento com o piloto Francisco Sérvulo Correia, a atriz e estudante de Hotelaria e Turismo falou à CARAS dos desafios da maternidade, das saudades da representação e dos projetos para o futuro.
– Ainda há quem se lembre de si como a Raquel de Morangos com Açúcar?
Júlia Belard – Por mais coisas que faça na vida, as pessoas só se lembram dos Morangos com Açúcar!
– Foi mãe em junho de 2017 e ganhou novas rotinas. Como é um dia comum na sua vida?
– Depois de não dormir a noite toda, levanto-me muito cedo, mudo a fralda ao Matias, dou-lhe o pequeno-almoço e brinco com ele.
– Foi um bebé muito planeado?
– Não muito, mas foi planeado e desejado.
– Partilha as tarefas da rotina do Matias com o Francisco? Quem tem mais jeito para as fraldas e banhos?
– Sim, felizmente tenho essa sorte! Temos os dois jeito e muitas vezes tratamos dele juntos.
– Como lida com as inevitáveis opiniões dos outros sobre como agir como mãe?
– De forma normal. Gosto de ouvir e peço muitas opiniões, absorvo o que importa, mas sigo sempre o meu coração e o instinto. É normal haver críticas quando se tem um filho, mas não necessariamente negativas.
– Já se sentiu insegura na qualidade de mãe?
– Não. Fico muito aflita quando ele está doente, mas nunca me senti insegura, tenho sempre a certeza daquilo que quero fazer. Mas achei que iria ser uma mãe mais tranquila, e sou bastante preocupada.
– No início não publicava fotografias do rosto dele nas redes sociais, mas aos poucos foi-o mostrando...
– Achamos os nossos filhos tão especiais que é uma alegria partilhar isso com o mundo.
– O que de mais especial trouxe o Matias à sua vida?
– Quietude e sossego. Eu tinha – e acho que toda a gente tem – um certo vazio ou necessidade de encontrar qualquer coisa mais que me preenchesse. E deixei de ter tempo para pensar em coisas que não têm assim tanta importância.

Leia esta entrevista na íntegra na edição 1190 da revista CARAS.
Assinatura Digital
Apple Store
Google Play

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras