Nas Bancas

GettyImages-868362288.jpg

Gary Gershoff

Morreu o jornalista e escritor Tom Wolfe

Encontrava-se internado num hospital em Manhattan.

CARAS
15 de maio de 2018, 17:33

O jornalista e escritor norte-americano Tom Wolfe morreu nesta segunda-feira, num hospital em Manhattan, aos 88 anos. De acordo com o seu agente, Lynn Nesbit, o jornalista estava hospitalizado devido a uma infecção. Wofe morava em Nova Iorque desde quando foi contratado pelo The New York Herald Tribune, em 1962.

Ao aplicar técnicas literárias às histórias de não-ficção, o jornalista tornou-se famoso como um dos criadores do movimento "novo jornalismo" nos anos 1960, ao lado de outros nomes como Gay Talese e Truman Capote. Um exemplo é o seu primeiro livro, The Kandy-Kolored Tangerine-Flake Streamline Baby, uma coletânea de reportagens publicadas na revista Esquire e no jornal The New York Herald Tribune. Mas a obra de Wolfe que fez mais sucesso é a ficção A Fogueira das Vaidades, de 1987, que, em 1990, foi adaptada ao cinema, com estrelas como Tom Hanks, Bruce Willis e Morgan Freeman no cartaz. O último romance de Tom Wolfe é Back to Blood, lançado em 2012.

Para além da escrita, Tom Wolfe era conhecido pelo estilo. De acordo com o obituário publicado pelo The New York Times, tinha por hábito andar pela Madison Avenue com um fato cor de baunilha, camisa de seda listrada, lenço à mostra no bolso e sapatos brancos. Uma ez, Wolfe definiu o próprio estilo como "neo-pretencioso". O escritor deixa a mulher Shelia e dois filhos, Alexandra e Tommy.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras