Nas Bancas

JLI_D4rkolândia-7222.jpg

João Lima

Youtubers’ D4rkframe, Dant e Pi abrem as portas da sua casa, a D4rkolândia

Os três jovens partilharam com a CARAS como é serem uma referência para crianças e jovens em Portugal.

Joana Carreira
12 de maio de 2018, 13:03

Chegámos à D4rkolândia à hora marcada, numa tarde de sol. Fomos recebidos por Nuno Vaz de Moura, diretor de comunicação da Modus e agente dos três youtubers que há cerca de três meses vivem nesta propriedade de luxo. É nesta casa moderna, de linhas direitas e impecavelmente decorada que D4rkframe, Dant e Pi desfrutam da rotina diária e gravam os seus vídeos para os milhares de subscritores que os seguem todos os dias na plataforma digital YouTube. “A D4rkolândia é uma mistura de várias coisas. O nome é inspirado no D4rkframe, a nossa maior estrela. Além disso, queríamos que fosse uma espécie de Disneyland, um espaço seguro para crianças e adolescentes. Cá dentro não há álcool, má linguagem ou temas controversos. É uma casa de família”, frisa Nuno Vaz de Moura.

Os três youtubers são jovens normais que decidiram deixar as suas vidas académicas para abraçar o enorme desafio que é entreter crianças e jovens através do vídeo, algo que já lhes trouxe muitas alegrias mas também alguns dissabores.

António Ramos (D4rkframe), de 24 anos, é um dos youtubers portugueses com mais seguidores: quase quatro milhões. A franja azul-turquesa e as gargalhadas contagiantes são a sua imagem de marca. “Faço muitas experiências e o cabelo dá-me um certo ar de cientista louco”, refere. Há “sete, oito anos”, deixou o curso de Design Digital para se dedicar por completo a esta profissão, e não se arrepende. “Adoro o que faço, estou sempre à procura do que eu gosto e do que os meus fãs mais gostam. Tento nivelar e unir esses dois aspetos. E tenho a noção de que já sou visto como influenciador, com uma voz muito forte e um papel importante, mas sempre com um lado educativo. Vejo-me a fazer isto até ser velhinho. Até poderia explorar esse nicho a fazer vídeos... Seria ainda melhor”, refere, bem-disposto.

O seu maior apoio vem da namorada, Catarina Lowndes, a também youtuber Sea3PO. Mas nem sempre é fácil desligar para passarem tempo juntos. “Não conseguimos fazer essa gestão muito bem, porque, tecnicamente, esta é a nossa vida. Há sempre discussão de ideias: o que é melhor fazer, o que os fãs gostam mais... isso é constante, respiramos isto”, justifica D4rkframe, que acaba de lançar um livro, Experiências Loucas e Factos Bizarros.

Dante Lopes (Dant), 24 anos, define-se como observador, reservado e pouco falador. Durante a juventude foi campeão nacional de taekwondo e na altura o seu grande objetivo era ir aos Jogos Olímpicos, mas acabou por seguir outro caminho. “O que devia ter conseguido já devia estar feito. Se não o fiz até agora, é porque não era a minha vez”, declara. Estudou Sociologia na universidade, mas há dois anos deixou o curso para ser youtuber profissional. “Tudo começou como uma brincadeira. Fazia vídeos porque via outros youtubers a fazê-lo e achei piada. Mais tarde percebi que tinha algum potencial. Não estou a exercer nada do que aprendi, é como se estivesse num curso de multimédia. Adaptei-me e consegui”, explica.

A sua maior preocupação prende-se com o facto de estar a influenciar os mais de 285 mil subscritores do seu canal: “Tenho de tomar atenção ao que faço. Tenho plena noção de que não posso fazer o que eu quiser. Sou um exemplo. Tento sempre representar o meu melhor lado, mas é óbvio que todos temos um lado mais rebelde.

Quanto a Miguel Monteiro, é o mais extrovertido da casa. Pi é o seu “nome de guerra”, tem 23 anos e foi preciso ultrapassar muitos obstáculos para chegar onde está hoje. “Fiz um curso profissional de técnico 3D, mas quis tentar a minha sorte no YouTube. Comecei a fazer vídeos com um computador do programa e-escola. Foram muitas horas sem dormir, sem sair com os meus amigos, e muito trabalho de bastidores. Mas fui eu próprio, sempre a entreter as pessoas com aquilo de que mais gostava. A minha função é passar a mensagem e ser um ídolo”, confidencia.

Genuíno e brincalhão, Pi tem um lema: “Felicidade acima de tudo.” E é a trabalhar para os seus fãs – cerca de um milhão no YouTube – que se sente feliz e realizado desde há seis anos: “Divirto-me a trabalhar, é uma forma de conseguir conquistar os meus objetivos. E gosto muito de ajudar os outros. Ao longo destes anos conheci muita gente, aprendi muito e cresci como pessoa e youtuber. Além disso, ganhei liberdade para fazer aquilo que gosto.”
– Como é que as vossas famílias reagiram a tudo isto?
Pi – A minha achava que a Internet era um meio perigoso, mas à medida que fui ganhando notoriedade foram percebendo.
D4rkframe – Até hoje, não sabem bem o que faço. Pensam que faço uns vídeos e umas maluqueiras. Não escondo nada. Simplesmente veem-me feliz. Não querem saber ao detalhe, mas sabem que estou bem, a trabalhar.
Dant – Ao início foi estranho, porque viam que estava sempre ao computador e achavam que estava a jogar. Nunca fui bem compreendido nesse aspeto, mas depois foram entendendo o que era este mundo do YouTube.
– Criam uma personagem para fazer os vídeos?
Dant – Não sei explicar isso. Acho que mostro como sou de uma forma que não faço noutro meio social. Sou uma hipérbole de mim, sou mais infantil e divertido. Sinto que posso brincar à vontade, pois as pessoas vão achar natural.
Pi – Eu não, sou mesmo eu. Tento ser verdadeiro para os meus subscritores, aqui não existem capas.
D4rkframe – A única coisa que tento não passar nos meus vídeos são os momentos em que estou mais triste ou deprimido. Tenho de fazer sempre um esforço. Muitas vezes, para isso acontecer, finjo, de forma a ganhar motivação.
– Têm saudades da vida antes de serem youtubers?
– Às vezes, quando vou ao centro comercial. As pessoas vêm ter comigo e pedem fotografias e autógrafos. Prefiro resguardar-me em casa, porque fico cansado e não quero ser antipático com as pessoas que gostam de mim.
Dant – Continuo a mesma pessoa, apenas fiquei um pouco mais sério.
Pi – Basicamente, tenho a mesma vida, só mudou o facto de ser youtuber. Não deixo de fazer as minhas coisas nem de sair com os meus amigos. Mas, obviamente, agora tudo tem de ser bem agendado.
– E existe um “plano B” para o futuro caso esta profissão corra mal?
Dant – Posso sempre acabar a faculdade! Mas não tenho nenhum grande objetivo. Estou mesmo nisto a 100 por cento.
D4rkframe – Tenho projetos na área do entretenimento, mas para mais tarde, pois ainda tenciono fazer muitos vídeos. Queria ter alguma influência na elevação do YouTube em Portugal. Estimular pessoas a fazer o mesmo que eu, mesmo que não seja nesta plataforma.
Pi – Existe sempre a hipótese de qualquer coisa que tenha a ver com a edição de vídeo. Tenho completamente a noção de que agora podemos estar no auge e amanhã tudo estar acabado.

fotos: João Lima
maquilhagem e cabelos: tTita costa

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras