Nas Bancas

2.jpg

DR

Georgina Rodríguez: "Não me vejo com mais filhos"

A companheira de Cristiano Ronaldo falou com a espanhola XL semanal sobre temas chocantes e até recusou responder a algumas perguntas.

CARAS
1 de abril de 2018, 11:56

Georgina Rodríguez, de 24 anos, falou com a revista espanhola XL semanal e, agora, foram revelados alguns pormenores da entrevista.

A jovem modelo deixou claro, de início, que preferia não falar muito sobre a sua família, "Não quero que esta entrevista seja tão intensa. Prefiro falar de cuidados físicos e de beleza e não da minha família".

Quando questionada acerca dos tempos de escola, disse que, apesar de não chumbar, era focada no ballet. "Para mim, o ballet foi tudo, eu adorava e também me inculcou disciplina. Aos cinco anos, comecei a fazer dança clássica. Porém, como as minhas colegas do colégio faziam ballet, a minha mãe inscreveu-me, a mim e à minha irmã. Deixei de dançar aos 17 anos. Fui para Jaca procurar uma vida melhor porque não queria viver num sítio pequeno onde não há muito que fazer [Murcia]", revelou.

Foi apenas quando conseguiu juntar algum dinheiro que Georgina viajou até Madrid. "Sempre fui muito determinada e não tinha medo. Sabia bem o que queria fazer com a minha vida. Cheguei sozinha a Madrid, com 19 anos, e pus um escudo. Mas claro que tive algum medo ao princípio", admitiu.

Começou a trabalhar numa loja de roupa e, de modo a conseguir trabalhar no mundo do luxo, passou alguns meses em Inglaterra para aprender a língua. Quando regressou a Espanha, com 22 anos, começou a trabalhar na Gucci, onde apenas esteve oito meses.

"Ao princípio corria tudo muito bem até que saíram as fotografias de Paris [junto a Cristiano]. A imprensa identificou-me e tive de mudar de loja", contou. Seguiu-se a Prada do El Corte Inglés, onde Georgina se revelou uma vendedora nata e teve ótimas avaliações.

"Sim [está segura das suas possiilidades], mas nunca me achei superior a ninguém, claro. Gostava de conseguir as coisas por mim mesma e jamais deixei que me ajudassem. Nunca! Não é uma questão de orgulho, sou realista. Se vejo que não consigo comprar algo muito caro não me preocupo", afirmou a companheira de Cristiano Ronaldo.

Quando era pequena, sentia-se muito normal e nunca pensou seguir uma carreira no mundo da moda. Contudo, ao crescer, começou a receber elogios à sua beleza e forma física, algo que a levou a considerar ser modelo. "Ao chegar a Madrid, paravam-me várias vezes na rua e ofereciam-me cartões para ir às agências. Mas não podia pedir permissão no trabalho para fazer castings. Tinha de trabalhar para sobreviver", relembrou.

Para já, Georgina não pensa fazer desfiles. "Estou a começar como modelo de beleza, mais do que de passerelle. Não tenho paciência no que toca a redes para ser blogger e vejo-me mais como modelo de fotografia. E também quero estudar marketing e cuidar dos meus filhos, claro", disse.

Para a modelo, um negócio de sonho seria, contudo, aquele em que pudesse vender e ganhar para si mesma, "Gostaria de ser diretora de alguma boutique ou de montar uma empresa com a minha irmã. Porque eu vendia muito ao público e claro que gostaria de ganhar para mim mesma, não para os outros".

Em dezembro de 2016, houve algo que mudou a vida da jovem: decidiu mudar-se com Cristiano ronaldo. Georgina ficou incomodada com a questão e disse, "não vou responder a isso porque não é apropriado nesta entrevista. Não é melhor começar de novo?". Perante o 'não' do jornalista, acabou por comentar, "a minha vida mudou para melhor".

Se teve medo de começar uma relação com Cristiano, sabendo que tinha um filho e gémeos a caminho? "Não. Sempre fui madura e, para mim, ter quatro filhos não é um fardo. Aceito-o muito bem e não imagino a minha vida sem os meus filhos", afirma.

Um mês após ter deixado de trabalhar, em fevereiro de 2017, ficou grávida. Após o parto, esteve no centro de uma polémica, ao partilhar imagens suas a fazer exercício, algo que, segundo diz, não foi contra as indicações dos médicos, "pelo contrário". "Tenho gente que não gosta de mim mas prefiro não ligar muito a isso e focar-me nas pessoas que me são queridas e não nas que me odeiam ou invejam. Prefiro pensar que posso usar a minha popularidade para ajudar outras pessoas", contou.

Para finalizar, surge o tema dos filhos, mais detalhado. "Sempre quis adotar uma criança, dar-lhe uma oportunidade. Quando era pequena não brincava com barbies. Tinha um boneco branco e outro negro. Sempre tive muita ligação com crianças", disse, acrescentando, "Como me vejo daqui a 10 anos? Com os meus [quatro] filhos maiores, não me vejo com mais filhos".

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras