Nas Bancas

GettyImages-841945380.jpg

Elisabetta A. Villa

Amal Clooney vai representar jornalistas presos em Myanmar

A advogada e mulher do ator George Clooney não tem dúvidas de que os dois são inocentes e devem ser libertados.

CARAS
1 de abril de 2018, 11:00

Conhecida por defender os direitos humanos, Amal Clooney voltou ao trabalho após o nascimento dos gémeos Ella e Alexander em junho de 2017, frutos do casamento com o ator George Clooney. Desta vez, a advogada juntou-se à equipa legal que vai defender os repórteres da Reuters detidos em Myanmar desde dezembro do ano passado.

Os jornalistas Wa Lone, de 31 anos, e Kyaw Soe Oo, de 28 anos, são acusados de posse de documentação governamental confidencial, que viola a Lei de Segredos Oficiais do país, um crime que carreta uma pena máxima de 14 anos. "Eles estão a ser processados simplesmente porque relataram a notícia. O desfecho deste caso vai nos dizer muito sobre o compromisso de Myanmar com o Estado de Direito e a liberdade de expressão", disse Amal em comunicado.

Wa Lone e Kyaw Soe Oo estavam a fazer uma investigação para a Reuters sobre a morte de 10 muçulmanos rohingyas em Rakhine, Estado do oeste de Myanmar durante uma operação do Exército. As autoridades do governo insistem que as detenções não representam um ataque à liberdade de imprensa.

"Revi o processo e é claro que os dois jornalistas são inocentes e devem ser libertados imediatamente", afirmou a advogada.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras