Nas Bancas

22.jpg

António Champalimaud faria hoje 100 anos

Assinala-se esta segunda-feira, 19 de março, o 100º aniversário do industrial.

CARAS
19 de março de 2018, 15:46

Figura incontornável do século XX em Portugal, António Champalimaud nasceu a 19 de março de 1918 e ficou para a História como um empreendedor, tendo assumido desde cedo as rédeas dos negócios da família, particularmente após a morte do pai quando tinha apenas 19 anos. Foi nessa altura que largou o curso de Ciências Físico-Químicas da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, concentrando-se na missão de dar nova vida à Companhia Geral de Construções, pertencente à família, praticamente falida à época.

Em 1941, casou com Maria Cristina de Mello, irmã de Jorge de Mello e ambos filhos do presidente da CUF, netos de Alfredo da Silva. Tiveram sete filhos - Maria Luísa, José, João Henrique, António Carlos, Manuel Carlos, Luís e Maria Cristina -, e divorciaram-se já na década de 1960.

O falecimento do tio, Henrique Sommer, fez com que herdasse parte das empresas que lhe pertenciam.

Viu o património que conquistou ser nacionalizado após o 25 de abril e partiu para o Brasil nessa altura, firme na missão de recuperar o império que havia construído, avaliada à época como a sétima maior fortuna a nível europeu. Começou pela produção de cimento e pluralizou as áreas de exploração, abraçando ainda a área agrícola e a criação de gado.

O regresso a Portugal deu-se apenas na década de 1990 e optou, a partir desse momento, por fazer avultados investimentos na área bancária.

Faleceu a 8 de maio de 2004 e, três anos mais tarde, abriu a Fundação Champalimaud. Em 2010 foi aberto o Centro com o mesmo nome, que tem desenvolvido um importante trabalho de investigação nas áreas de Oncologia e Neuropsiquiatria.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras