Nas Bancas

Diogo Piçarra reage às acusações de plágio: "A simplicidade tem destas coisas"

O cantor usou o Facebook para refutar as críticas de que tem sido alvo nas redes sociais.

CARAS
27 de fevereiro de 2018, 11:37

O autor e intérprete do tema Canção do fim, Diogo Piçarra, que ganhou por unanimidade do júri e do público a votação da segunda semifinal do Festival da Canção, reagiu às acusações de plágio de que foi alvo nas redes sociais. Muitos internautas salientaram as semelhanças entre a canção de Diogo e o 'hino' Abre meus olhos, que faz parte do álbum Cânticos do Reino, da Igreja Universal do Reino de Deus.

Na sua página de Facebook, o cantor reagiu às críticas num longo texto em que afirma que “a simplicidade tem destas coisas e só quem não cria arte é que nunca estará nesta posição. Faz parte da vida de um compositor e é algo que todos nós iremos ‘sofrer’ a vida toda”.

Adianta ainda que a canção surgiu em 2016, assim como músicas do seu novo álbum “do=s” e que a manteve guardada “por achar algo especial, no entanto, a sua simplicidade e a sua progressão de acordes não é algo que não tenha sido inventado, tal como tudo na música”.

Afirma ainda que a “a Internet é o verdadeiro juiz dos tempos modernos. Aclama mas também destrói”. “A minha consciência está tranquila na medida em que eu próprio sou quem está mais surpreendido no meio disto tudo: nasci em 1990, não sou crente nem religioso, e agora descobrir que uma música evangélica de 1979 da Igreja Universal do Reino de Deus se assemelha a algo que tu criaste, é algo espantoso e no mínimo irónico. Desconhecia por completo o tema e continuarei a defender a minha música por acreditar que foi criada sem segundas intenções”.

Lembra ainda que “as melodias na música não são ilimitadas. Nunca participaria num concurso nacional com a consciência de que estava a plagiar uma música da Igreja Universal. Teria agarrado na guitarra e feito outra coisa qualquer”.

E conclui, afirmando que, “afinal as pessoas quando olham, vêem tudo, no entanto, só o lado mau que procuram destruir. Mas, infelizmente, informo que isso nunca acontecerá”, agradecendo contudo “a esta família gigante que me apoia sempre”.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras