Nas Bancas

Brit Awards: escolhas pouco felizes na passadeira vermelha

O 'smoking' foi o rei da noite.

CARAS
22 de fevereiro de 2018, 16:50

Nem sempre são as mulheres as mais bem vestidas dos eventos. Prova disso é a cerimónia britânica de entrega de prémios musicais, que decorreu ontem, dia 21 de fevereiro, na capital inglesa. Os homens levaram o prémio de bom gosto, e não foi preciso muito. Na verdade bastou um smoking, com ou sem gravata.

O smoking levou a melhor

O ator e músico Luke Evans optou por um fato cinzento, com alguns detalhes em preto, e conjugou-o com uma camisa branca. Já o humorista Jack Whitehall e o futebolista Ryan Bertrand escolheram o tradicional smoking preto. O músico Ed Sheeran levou a rosa branca, símbolo da solidariedade com a luta contra o assédio, presa à lapela de um fato azul-escuro.

As mulheres que se inspiraram no smoking masculino também conseguiram nota positiva. Foi o caso de Lilah Parsons, que elegeu um conjunto preto de calças e blazer. Sem nada por baixo do casaco, a lingerie da locutora de rádio ficou visível, mas, ainda assim, foi um toque de 'ousadia' na medida certa. Quem também se inspirou na indumentária masculina foi Ella Eyre. A cantora reinventou um blazer, ao usá-lo como vestido e com as mangas a terminar em largos folhos.

Tule, penas, folhos, lantejoulas, transparências...

A passadeira vermelha foi invadida por materiais e cortes diversos. Vieram dar as boas-vindas antecipadas à primavera, mas em visuais pouco felizes. Dua Lipa foi premiada, durante a noite, na categoria de Revelação Britânica e Melhor Artista Feminina Britânica, mas a sua escolha de roupa para o evento não levou pontuação positiva. O volumoso vestido rosa claro, de camadas e camadas de tule, impressionou, mas não pelas melhores razões.

O macacão de Raye, ainda que em cores pastel (uma super tendência), também não levou a melhor. Os desenhos nas extremidades da peça, que recordam chamas, não foram uma opção muito feliz. Nem mesmo as sandálias resultaram neste look.

Rita Ora escolheu uma criação totalmente em penas brancas. Se não fosse a quantidade enorme de penas e a cauda comprida, o modelo até poderia resultar.

Leigh-Anne Pinnock e Mabel McVey optaram por casacos que fazem lembrar robes de noite. Também de noite parecia o vestido de IAMDDB, que era completamente transparente e, apesar de revelar a boa forma física da artista, era pouco elegante.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras