Nas Bancas

JLI_SharamDiniz-8232.jpg

João Lima

Sharam Diniz confiante: “Quero fazer tudo aquilo que não fiz até agora, sinto-me muito mais livre”

Separada do gestor Marcelo Costa, a manequim luso-angolana revela estar focada em si e na sua carreira.

CARAS
27 de janeiro de 2018, 16:00

O ano que terminou foi um dos mais intensos para Sharam Diniz, porque se separou de Marcelo Costa, perdeu pessoas que amava e viu alguns dos seus sonhos profis­sionais ficarem adiados. Contudo, é com um otimismo renovado que encara o presente e o futuro. Sem ter nada a provar, a manequim, de 26 anos, quer continuar a dar cartas na moda, apostar na representação e consolidar a sua marca de extensões de cabelo, a Sharam Hair. Também quer ter mais tempo para si e para ajudar os outros. Em 2018, a luso-angolana quer fazer tudo aquilo que não fez até agora e gozar em pleno a liberdade que admite sentir. Independentemente do que faça, uma coisa é certa: Sharam será sempre igual a si própria, sem máscaras, revelando aquela que é a sua verdade.
Nesta produção de moda, a manequim vestiu-se de preto e branco, mas na conversa que teve com a CARAS mostrou que o seu mundo é bem mais alegre e colorido.
– Antes de nos dizer o que espera concretizar neste novo ano, façamos um balanço do que terminou. 2017 foi um bom ano para si?
Sharam Diniz – Foi um ano muito intenso. Procuro sempre ver o lado positivo de tudo e acredito que nada acontece por acaso. Todas as situações acabam por ser lições de vida. Vivi alguns momentos menos bons, perdi algumas pessoas, outras estiveram à beira da morte… Passei a valorizar muito mais a vida e os momentos com aqueles que me querem bem. Sinto-me mais madura e segura das minhas decisões. Acredito que irei conseguir alcançar o que quero.
– Não é uma mulher que se deixe ir abaixo com os percalços da vida?
– Não me posso ir abaixo. Essa opção não existe. Só posso depender de mim para alcançar os meus sonhos. O embate pode ser forte, posso até parar para refletir, mas depois avanço. Quando somos positivos, tudo corre melhor.
– Também encarou com esta serenidade o fim do seu casamento com Marcelo Costa?
– A minha relação valeu pelo que foi. Tivemos mais momentos bons do que maus. É muito natural que, ao longo do tempo, as pessoas mudem os seus objetivos e perspetivas de vida. Não iria querer condicionar outra pessoa por causa das minhas ambições. O bom de tudo é que conseguimos manter uma relação saudável. Somos amigos. E deveria ser sempre assim. Os meus pais deram-me esse exemplo. Depois das feridas sararem, é natural que as pessoas tenham uma boa relação, porque um dia já dividiram tudo e foram um só. Foi uma história bonita que ficou no passado.
Leia esta entrevista na íntegra na edição 1171 da revista CARAS.
Assinatura Digital
Apple Store
Google Play

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras