Nas Bancas

JLI_JoaoPedroPais-6544.jpg

João Lima

João Pedro Pais guia-nos numa viagem por 20 anos de canções

Será possível conhecer um músico através das letras e dos títulos das suas canções?

Pedro Amante
7 de janeiro de 2018, 10:00

Faz tempo. Fazem precisamente 20 anos que João Pedro Pais decidiu fazer da música a sua vida. Vinte anos de canções, de luta e persistência, não fosse a luta greco-romana a sua outra grande paixão. Nesta viagem, celebrada com a edição de um novo álbum que reúne as suas músicas mais emblemáticas e dois originais, João viveu um misto de emoções. Festejou conquistas, sofreu em silêncio e com o sofrimento dos outros, chorou a perda de pessoas que amava, viu o seu filho, Salvador, de 18 anos, abraçar a sua paixão pela música. Acima de tudo, cresceu e aprendeu a conhecer-se um pouco melhor. Porém, 20 anos depois, não esconde que continua a viver num constante desassossego e admite que não saberia viver de outra forma. Aqui fica a história de 20 anos de canções contada na primeira pessoa.
– O que vê quando olha para trás?
– Vejo que provavelmente não tomaria algumas decisões que tomei, mas isso é inevitável. Tudo mudou com a música e acho que mudou para melhor. Foi a decisão certa. Sou um privilegiado.
– É possível conhecê-lo através das suas canções?
– Claro que sim, acho que isso acontece com qualquer autor. O que escrevemos é toda uma união daquilo que somos, ouvimos, falamos e com quem convivemos. Uma união de tudo o que nos rodeia. As minhas músicas são histórias, minhas e dos outros.
– Estes 20 anos têm sido a sua luta mais intensa?
– Têm sido uma luta saudável, em que fui contornando os obstáculos, porque sei aquilo que quero. O mais importante na música é o caráter e isso fui buscar à luta, ao que eu fui como atleta. Sempre fui íntegro. Posso vacilar, tenho as minhas dúvidas, não sou uma verdade absoluta, mas sempre tive muito caráter, sei dizer não. Se não me identifico com uma coisa ou com uma pessoa, afasto-me.
– Tem um disco chamado Identidade. Já a encontrou?
– Sim, tenho a minha identidade, é o que me caracteriza, o que me domina, aquilo que sou no dia a dia, o que escrevo.
Leia esta entrevista na íntegra na edição 1168 da revista CARAS.
Assinatura Digital
Apple Store
Google Play
Vídeo de 'making of' da sessão fotográfica que acompanha a entrevista:

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras