Nas Bancas

Manuel Maria Carrilho absolvido do crime de violência doméstica

No processo movido pela sua ex-mulher, a apresentadora Bárbara Guimarães.

Lusa
15 de dezembro de 2017, 15:26

O ex-ministro da Cultura Manuel Maria Carrilho foi hoje absolvido num processo em que era acusado de violência doméstica e condenado a um dos 22 crimes de difamação cometidos contra a sua ex-mulher Bárbara Guimarães.
"Perante a realidade trazida ao tribunal, prova pericial inconclusiva e perante uma prova testemunhal abundante, mas que não foi capaz de sustentar a acusação, não resulta da matéria de facto provada que o arguido tem cometido o crime de violência doméstica", pelo que o tribunal o absolve, decidiu a juíza Joana Ferrer.
Por um crime de difamação, a juíza condenou Manuel Maria Carrilho a 150 dias de multa, num total de 900 euros, e ainda ao pagamento de uma indemnização de três mil euros por danos não patrimoniais à apresentadora de televisão.

O ex-governante fica assim absolvido de novas alegações de violência, depois de em outubro ter sido condenado a quatro anos e meio de pena suspensa por casos ocorridos após a separação do casal. Neste novo processo, Carrilho é considerado culpado apenas pelos crimes de difamação, visto ter exposto publicamente o alegado problema de alcoolismo de Bárbara Guimarães. Por esta condenação, o ex-ministro fica obrigado a pagar uma multa de 3900 euros.

À saída do tribunal, Manuel Maria Carrilho declarou-se "muito feliz" com o resultado, considerando que "se fez justiça" e que este é o esperado "fim de um calvário de quatro anos". Do lado de Bárbara Guimarães, ainda não são conhecidas reações.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras