Nas Bancas

Salma Hayek revela ter sido assediada e ameçada por Harvey Weinstein

A atriz fez a revelação nas páginas de um dos jornais mais conceituados dos Estados Unidos.

CARAS
14 de dezembro de 2017, 16:22

A onda de acusações de assédio a Harvey Weinstein parece estar longe de terminar. Desta vez, foi a atriz Salma Hayek, que numa crónica escrita no jornal New York Times, revela que o produtor chegou a ameaçá-la de morte.
O primeiro contacto profissional que a atriz mexicana teve com o produtor foi durante as gravações do filme Frida, em 2002, e foi aí que terão começado os vários pedidos de Weinstein e que Hayek diz ter rejeitado. "Não a abrir-lhe a porta a todas as horas da noite (...) Não a tomar banho com ele. Não a deixá-lo ver-me tomar banho. Não a receber uma massagem dele. Não a fazer-lhe uma massagem. Não a deixar um amigo dele nu fazer-me uma massagem. Não a deixá-lo fazer-me sexo oral. Não ficar nua com outra mulher. Não, não, não, não, não...", contou. A todas estas recusas, a atriz refere que se seguia a raiva de Weinstein, a que ela chama de "maquiavélica". “Eu mato-te, não penses que não sou capaz", ter-lhe-á dito o produtor.
Durante a rodagem de Frida, Weinstein terá ainda forçado a atriz a gravar uma cena de sexo com outra mulher, na qual estaria completamente nua e, caso não o fizesse, teria de abandonar o projeto. "Tornou-se claro para mim que ele nunca me deixaria terminar o filme sem ele concretizar a sua fantasia fosse de que forma fosse. Não havia ali hipótese de negociação... Tinha de dizer que sim", confidenciou.
Hayek diz ter tido um “colapso nervoso” durante as gravações da referida cena. "O meu corpo começou a tremer de forma impossível de controlar, faltou-me o ar e comecei a chorar muito, sem conseguir parar, como se estivesse a vomitar lágrimas... Não foi por estar nua com outra mulher, foi porque estaria nua com ela pelo Harvey Weinstein", contou.
Entretanto, o produtor já reagiu às acusações, negando os episódios relatados pela atriz mexicana. “O Sr.Weinstein não se lembra de ter pressionado Salma a filmar uma cena de sexo com uma mulher e ele não estava lá no dia das filmagens...Todas as alegações sexuais descritas por Salma não são verdadeiras e as testemunhas dos eventos têm um relato diferente sobre o que aconteceu", afirmou um porta-voz de Weinstein num comunicado à comunicação social, citado pela BBC.
Recorde-se que Harvey Weinstein é acusado de ter assediado mais de 80 mulheres, incluindo várias estrelas de Hollywood. Angelina Jolie, Gwyneth Paltrow e Cara Delevingne foram algumas das atrizes que denunciaram o produtor por episódios de abuso e assédio sexual.
Leia aqui o texto completo de Selma Hayek publicado no site do New York Times.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras