Nas Bancas

Sonho de António Champalimaud volta a cumprir-se

O prémio de um milhão de euros este ano foi entregue à Sightsavers e à CBM.

Vanessa Bento
25 de setembro de 2017, 11:00

Há mais de uma década que a vontade de António Champalimaud se cumpre na entrega daquele que é o maior prémio do mundo na área da visão. Este ano não foi exceção e a cerimónia, que decorreu no anfiteatro ao ar livre da Fundação Champalimaud, em Belém, e que teve, por isso, o Tejo como cenário, voltou a reconhecer o trabalho para a prevenção da cegueira em países em vias de desenvolvimento, tendo atribuído o prémio de um milhão de euros à Sightsavers e à CBM.
“Este é o dia do nosso fundador, mas é também para nós, cada vez mais, o dia da família alargada que vamos constituindo, em nome de um empreendimento coletivo, mas que não pertence a nenhum de nós. Homenageamos hoje duas grandes organizações humanitárias e pioneiras, já cheias de história e realizações, e que continuam na missão de dar luz aos olhos de milhões de pessoas”, sublinhou Leonor Beleza, presidente da Fundação Champalimaud, que foi surpreendida pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, ao ser condecorada com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique.
Gesto que o Presidente da República justificou pelo empenho e características da sua amiga de infância. “É um orgulho poder atestar como o sonho de um homem excecional se converteu na realidade que tantos de nós não ousariam antever. E se em 2016 homenageei sem eufemismos o instituidor, em 2017 saúdo a presidente da fundação. É certo que a conheço há mais décadas do que a nossa democracia tem de existência, e que admiro as suas invulgares qualidades de caráter, personalidade, inteligência, determinação, dimensão comunitária e sentido nacional. Mas de pouco valem os sentimentos do cidadão que exerce a suprema magistratura do Estado. O que conta é o reconhecimento objetivo do Presidente da República a quem pôs de pé e materializou uma instituição marcante para a nossa afirmação cá dentro e lá fora. E esse mérito cívico deve ser sublinhado”, destacou Marcelo Rebelo de Sousa, perante o olhar emocionado e surpreendido de Leonor Beleza.
Na verdade, no ano passado, o Presidente da República decidiu condecorar, a título póstumo, o empresário António Champalimaud com a Grã-Cruz da Ordem do Mérito. Ainda sensibilizada com o gesto de Marcelo Rebelo de Sousa, Maria Luísa Champalimaud decidiu reforçar o seu agradecimento no discurso que fez durante a cerimónia deste ano. “Aproveito esta oportunidade para publicamente agradecer o vosso gesto de reconhecimento pela memória desse grande português que foi o meu pai. E mais uma vez aproveito este momento para felicitar a administração da Fundação Champalimaud, presidida por Leonor Beleza, por estar a cumprir com sucesso os desígnios do seu fundador”, frisou a filha do empresário neste fim de tarde dedicado à ciência e às obras humanitárias, que terminou com música portuguesa cantada pela soprano Marina Pacheco e pelo tenor Marco Alves.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras