Nas Bancas

Pai e filho, em 1997

Pai e filho, em 1997

PATRICK HERTZOG

Gérard Depardieu responsabiliza justiça francesa pela morte do seu filho

Guillaume morreu em 2008.

CARAS
24 de setembro de 2017, 17:14

Gérard Depardieu fez acusações graves numa entrevista recente para o The Daily Beast. Voltando ao passado e a um dos momentos mais traumáticos da sua vida, a morte do seu filho Guillaume, o ator, de 68 anos, afirma: “Penso que a justiça americana funciona melhor que a justiça francesa. Foram eles que mataram o meu filho, por dois gramas de heroína. Era uma juíza que queria dar cabo dos Depardieu, na verdade quis-me afundar utilizando o meu filho. Se pudesse tinha posto as algemas em mim".
O veterano ator refere-se ao facto do seu filho ter sido detido e condenado a três anos de prisão, em 1988, com apenas 17 anos, por consumo e tráfico de heroína. A vida de Guillaume nunca mais foi a mesma e o crime esteve sempre presente. Em 2003, foi novamente condenado por uso de arma de fogo depois de uma rixa com um fã e cinco anos depois por condução sob efeito de álcool. E foi precisamente nesse ano que, aos 37 anos, morreu vítima de uma pneumonia fulminante, agravada por uma infeção contraída depois de um grave acidente de mota, em 1995.
“Sobrevivi a tudo isso. E por ter conseguido ultrapassar, considero que tenho direito de dizer o que me apetece, mesmo que nem sempre esteja a ser correto. Sou livre, mas não sou violento. Respeito as pessoas, mesmo quando estou zangado com elas. Não é o facto de estar zangado que me dá vontade de matar as pessoas”, conclui o ator, que se tem refugiado no álcool, o que já lhe valeu alguns desacatos. "Quando me aborreço, bebo. Posso beber 12, 13, 14 garrafas por dia", disse numa entrevista à revista So Film, em 2014.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras