Nas Bancas

Agatha Ruiz de la Prada, a ‘designer’ que é feliz no seu mundo colorido

A estilista espanhola deu uma entrevista à CARAS a propósito da sua recente exposição em Évora.

Joana Carreira
15 de julho de 2017, 12:00

Aos 56 anos, Agatha Ruiz de la Prada é uma das estilistas espanholas mais conhecidas. A sua energia e entrega ao trabalho permitiram-lhe criar um estilo muito próprio que já é considerado um meio de expressão artística, caracterizado por uma divertida mistura de cor, fantasia, boa disposição e felicidade.
No entanto, a irreverência das suas criações contrasta com a simplicidade da sua personalidade, como constatámos neste encontro no Palácio Cadaval, em Évora, local onde tem expostos os 36 vestidos da sua mais recente coleção, que foi apresentada em Madrid.
O lançamento da coleção Espetacular foi o pretexto ideal para uma conversa intimista com a designer espanhola, que no último ano passou por uma das fases mais delicadas da sua vida: o fim do casamento de 30 anos com o jornalista Pedro J. Ramírez, do qual nasceram dois filhos, Cósima e Tristán, de 30 e 26 anos, respetivamente.
A separação foi, como confessa, um momento doloroso que a fez perder mais de 15 quilos, mas que também trouxe várias mudanças positivas. O trabalho e o apoio dos filhos deram-lhe força para ultrapassar a situação, tornando-se uma nova mulher.
Agora, diz que renasceu e que se sente mais feliz, tanto a nível pessoal como profissional.
– Tem uma nova exposição em Portugal, desta vez em Évora. Gosta de mostrar o seu trabalho no nosso país?
Agatha Ruiz de la Prada – É a minha terceira exposição em Portugal e sinto-me muito bem aqui. Já expus na Cordoaria Nacional, em Lisboa, há uns anos, e no ano passado em Cascais. Todas as exposições foram diferentes e, tal como esta, não repeti nenhum vestido.
– Tem os seus vestidos irreverentes e modernos expostos num espaço histórico. Como vê este contraste?
– É muito bonito, porque funciona um pouco como uma conversa entre um palácio e os meus vestidos. É como imaginar um palácio com muitos séculos repleto de peças diferentes.
– Fale-nos sobre a exposição.
– Tem peças do meu último desfile, que é muito especial para mim. O tema é a festa, daí chamar-se Espetacular.
Leia esta entrevista na íntegra na edição 1144 da revista CARAS.
Assinatura Digital
Apple Store
Google Play

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras