Nas Bancas

Maria João Bastos

Maria João Bastos

João Lima

Indignada, Maria João Bastos afirma: “Sinto vergonha da terra onde nasci”

Em causa está a atitude de um grupo de populares que pegou fogo aos chifres de um touro durante uma festa em Benavente, a terra natal da atriz.

CARAS
26 de junho de 2017, 10:49

Maria João Bastos denunciou nas redes sociais o comportamento de “um grupo de cidadãos” de Benavente, que, “à revelia” da ordem dada pelo presidente da Câmara Municipal, Carlos Pinto Coutinho, para que o espetáculo dos touros fosse cancelados, “decidiu manietar um animal e com ele quase imobilizado e pouca margem de defesa colocar-lhe fogo nos chifres”.
“Estes seres sem alma ainda filmaram e colocaram os vídeos no Facebook a gozar com quem se opôs a esta barbárie. Perante a aparente inércia posterior da GNR, que recebeu várias queixas e que supostamente desvalorizou”, escreveu a atriz, visivelmente revoltada com a toda a situação. “É o primeiro momento da minha vida que sinto vergonha da terra onde nasci e fui criada”, afirmou ainda, antes de acrescentar que espera por parte do autarca local um pedido de “desculpas públicas aos naturais de Benavente e a todo o país pelo acontecimento ignóbil que aconteceu na localidade que lidera, uma barbárie digna da Idade Média e que desrespeita por completo a dignidade dos animais e todos os seus direitos”. “Espero que os autores deste crime sejam identificados e severamente punidos. Porque o que fizeram é crime”, conclui no longo texto partilhado na sua página oficial de Facebook.
Esta publicação valeu a Maria João Bastos muitos comentários de apoio, mas também muitas críticas, tendo sido acusada de respeitar os seus conterrâneos. A atriz fez questão de responder e explicou:
“Para terminar o assunto dos ‘touros de fogo’ em Benavente, que deverá agora ficar sob a responsabilidade das entidades competentes, em relação à causa continuarei sempre a defender que não é aceitável e não podia de forma alguma ter acontecido. Vou lutar para que touros de fogo jamais seja uma prática na nossa terra e em qualquer outro lugar do nosso país. Em relação à polémica de que disse mal das pessoas de Benavente e da terra quero deixar claro que é simplesmente uma má interpretação do que disse e defendo. Tenho muito orgulho na minha terra e um grande carinho e respeito pelas pessoas que nela vivem e que sei que a maioria tal como eu, não aprova está prática. Não foi minha intenção ferir susceptibilidades de ninguém, nem fazer referência negativa às tradições da nossa terra, mas sim defender a causa para que touros de fogo em Benavente, não se repitam e não se tornem uma tradição. Pois actos bárbaros contra animais indefesos é inaceitável, seja que animal for. E esta não é a tradição da nossa terra nem a dignifica em nada. É nosso papel de bons cidadãos defender o respeito por todos os seres vivos. E tenho sim vergonha, que alguém da minha terra tenha cometido tais actos, como já referi antes, actos que em nada representam a nossa gente e as nossas festas. Vergonha por Benavente ter sido noticiada pelas piores razões. E não vergonha da terra ou das gentes que gostam de festejar a festa da amizade com toda a dignidade. Que fique esclarecido. Boa tarde para todos os que respeito e me respeitam”.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras