Nas Bancas

Marcelo Rebelo de Sousa: “A nossa dor neste momento não tem medida”

O Presidente da República acompanhou no local a tragédia de Pedrógão Grande.

Cristiana Rodrigues
20 de junho de 2017, 11:54

No passado sábado, dia 17, algumas horas depois de ter deflagrado o terrível incêndio que devastou a região de Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, Marcelo Rebelo de Sousa dirigiu-se ao local. E não disfarçou as emoções que estava a sentir. Depois de dar um abraço ao secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, e outro ao presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande, Valdemar Ramos, o Presidente da República tentou consolar as famílias das vítimas e confortar os que ficaram desalojados. “A nossa dor neste momento não tem medida. Como não tem medida a nossa solidariedade. A solidariedade para com os familiares das vítimas da tragédia de Pedrógão Grande. Uma só morte em tais circunstâncias é sempre uma tragédia. Tantas dezenas de mortes representam uma tragédia quase sem precedentes na história do Portugal democrático. Esta é uma hora de dor, mas também de combate, de resistência, de ânimo renovado e redobrado”, frisou aos jornalistas presentes.
Naturalmente, o Presidente teve também palavras especiais para todos aqueles que combateram as chamas e socorreram as vítimas: “Para bombeiros, Proteção Civil, INEM, GNR, PJ, Forças Armadas, autarquias locais, estruturas de saúde e sociais, povo anónimo... a nossa ilimitada gratidão, o nosso incondicional apoio.”
Depois de, no domingo, ter decretado três dias de luto nacional, na segunda-feira Marcelo regressou ao local, onde, ao final da tarde desse dia, à hora de fecho desta edição, ainda havia quatro frentes ativas e o número de vítimas mortais ascendia já a 64.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras