Nas Bancas

Biografia de Patrick Monteiro de Barros reúne personalidades no Museu de Marinha

Velejador desde criança, foi no Museu de Marinha que Patrick Monteiro de Barros, viu a sua biografia apresentada perante uma plateia repleta de amigos.

Andreia Cardinali
27 de maio de 2017, 18:00

Um dos mais importantes empresários do nosso país e velejador olímpico português, Patrick Monteiro de Barros é um nome incontornável da nossa sociedade. O lançamento da sua biografia, Uma Vida à Bolina, despertou, compreensivelmente, grande interesse e reuniu dezenas de personalidades, entre elas Ricardo Salgado, João Pereira Coutinho ou Luísa Champalimaud, a maioria seus amigos. “Fico muito feliz por ter tantos amigos aqui presentes que participaram na minha vida. Ter a possibilidade de assistir a tudo é realmente formidável”, confessou Patrick enquanto autografava alguns exemplares do livro e recebia os parabéns dos amigos.
Coube ao autor da obra, o jornalista da RTP Jorge Almeida, explicar, perante a plateia presente no Museu de Marinha, porque decidiu propor a Patrick esta aventura: “Quando, em 2014, fiz uma série de documentários sobre portugueses de sucesso para a RTP, fiquei com a sensação de que tinha ficado muito por contar sobre a vida deste homem que teve a oportunidade de viver grandes momentos da nossa história e de ser capaz de chegar aos patamares mais altos do mundo empresarial. Teria sido impossível escrever este livro com tanto rigor se o Patrick não fosse uma pessoa tão organizada e não tivesse agendas guardadas praticamente desde que começou a trabalhar. A ele agradeço toda a dedicação e exigência. Hoje somos amigos e isso deixa-me muito satisfeito.”
Amigo de infância do biografado, com quem estudou no Liceu Francês, Ricardo Salgado adiantou: “Não poderia faltar, temos a mesma idade e muitas paixões partilhadas. O Patrick tem um caráter muito forte e estou muito curioso por ler este livro, pois há histórias que não conheço.”
Já no fim da apresentação, o biografado fez questão de agradecer com emoção à mulher, Arlete, com quem partilha a vida há 54 anos: “Tive a sorte de ter uma mulher extraordinária e acho que metade deste livro é dela, porque esteve sempre ao meu lado nos bons e maus momentos. Foi uma mãe e uma mulher extraordinária.”

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras