Nas Bancas

Clã participam em disco solidário que junta músicos portugueses e indianos

A parte do ‘videoclip’ em que Mangka canta foi filmada em Manipur, no sudeste dos Himalaias, tendo depois o realizador Romi Meitei vindo gravar no Teatro Nacional S. João, no Porto, a participação dos Clã. As receitas das vendas de ‘T(h)ree’ revertem na íntegra para a Make a Wish Portugal.

CARAS
1 de maio de 2017, 14:00

Os Clã foram convidados a integrar a coletânea T(h)ree – projeto do produtor David Valentim que tem juntado músicos portugueses e asiáticos em colaborações únicas – com a cantora tradicional indiana Mangka. A realização do videoclip do tema Nura Pakang (Eu e Tu) esteve a cargo de Romi Meitei, um galardoado realizador indiano, e a primeira parte foi filmada no estado indiano de Manipur, no sudeste dos Himalaias. A segunda foi gravada no Teatro Nacional S. João, no Porto, com a participação dos Clã. “Promover este encontro criativo entre músicos de diferentes culturas é algo precioso e inspirador. E o facto de toda a gente o fazer de forma graciosa e voluntária torna o T(h)ree ainda mais valioso”, referiu à CARAS a vocalista da banda portuense, Manuela Azevedo.
“Esta foi uma experiência muito diferente. Normalmente, trabalhamos a construção de uma nova canção desde a sua raiz, mas neste caso foi-nos enviada uma canção já completa, composta de acordo com os cânones tradicionais da música manipuri, e maravilhosamente interpretada pela Mangka, acompanhada por um coro de vozes masculinas e por uma instrumentação que incluía a ‘pena’, um instrumento tradicional indiano que soa próximo do violino, explicou Manuela, adian-
tando: “A partir daí o Hélder [Gonçalves, baixista dos Clã e compositor] desenvolveu um arranjo para a canção, executado pela banda, a que se juntou uma parte nova, cantada em português, a partir duma letra do Carlos Tê e a que a eu e o Hélder juntámos mais uns versos.”
Embora defendendo que são “mais as diferenças do que as semelhanças entre a nossa música e a de Manipur”, Manuela Azevedo defendeu que “o que permitiu que esta parceria se concretizasse foi a vontade de encontrar um território comum, a curiosidade em descobrir mais sobre outra cultura e a generosidade de nos permitirmos partilhar a mesma canção”.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras