Nas Bancas

Chakall: “A culinária é uma boa desculpa para conhecer o mundo, e ainda me pagam!”

Tâmara, filha de Virgílio Castelo, ajudou Chakall a decorar o restaurante El Bulo, em Marvila, onde não faltam pormenores de criatividade. Juntos há quatro anos, o ‘chef’, de 44 anos, e a especialista em medicina tradicional chinesa, 32, têm uma filha, Noa, de dois.

Cláudia Alegria
15 de abril de 2017, 16:00

Aos 44 anos, Chakall é um poço de histórias e aventuras, vividas um pouco por todo o mundo. “A minha mulher diz que sou hiperativo e tem tentado convencer-me a tomar Ritalina, mas eu não tomo nada. Diz que era melhor para mim, para me concentrar nas coisas. Tenho 50 mil ideias ao mesmo tempo”, revela o chef. E essas ideias ficam a meio, perguntamos nós? “O pior é que consigo fazer chegá-las a bom porto. Só que às vezes estou com 50 coisas ao mesmo tempo, é complicado...” Natural da Argentina, Eduardo Andrés Lopez Rodriguez – ‘batizado’ como Chakall pela família, aos cinco anos – já correu o mundo inteiro. Só lhe falta passar por um continente, a Oceania, que tem deixado propositadamente de fora dos seus planos de viagem. “Há que deixar alguma coisa para o futuro”, explica o chef, que recebeu a equipa da CARAS no seu restaurante, El Bulo, em Marvila.
Uma zona pela qual se enamorou quando chegou a Portugal, há 20 anos. “Sempre me questionei porque é que este porto de Lisboa não era uma zona de restaurantes como acontece em Buenos Aires, Londres ou Nova Iorque.” Este é, revela, o primeiro restaurante próprio, que abriu em sociedade com a mulher, Tâmara Castelo, filha do ator Virgílio Castelo. “Gosto da ideia de ter um armazém com música ao vivo, um clube social, não um restaurante. Depois de oito meses em obras, inaugurámos há um ano e, recentemente, acrescentámos o Schweppes Stadium, um palco que estará à disposição de bandas”, conta o chef, que teve a ajuda da mulher para decorar o espaço. Juntos há quatro anos, são pais de Noa, de dois anos, que em breve poderá protagonizar, ao lado do pai, um programa de culinária. Tâmara, de 32 anos, que tem o seu consultório de medicina tradicional chinesa, é ainda mãe de Flor, de sete anos. Chakall, de 44 anos, tem três filhos do seu anterior relacionamento, Zoel, de 14 anos, Soluna, de 11, e Leanne, de dez, que vivem em Berlim com a mãe.
– Este restaurante será o espaço que tem mais a sua alma?
Chakall – Sem dúvida que sim. Dei o melhor de mim em todos os lugares por onde passei, enquanto chef executivo, e todos eles marcaram uma fase da minha vida.
– E em que fase está?
– A de fazer coisas de que realmente gosto, que não tenham só a ver com culinária. A culinária é uma parte da minha vida, não é a minha vida. É 40 por cento da minha vida.
– E os restantes 60 por cento?
– São a família, os meus filhos, os meus outros projetos que me divertem e que têm a ver com fotografia, literatura, escrita e viagens. Tento encontrar um equilíbrio entre prazer, trabalho, dinheiro e família. Acho que todos nós estamos permanentemente à procura do equilíbrio. No fundo, o importante é viver o dia-a-dia, o agora.
Leia esta entrevista na íntegra na edição 1131 da revista CARAS.
Assinatura Digital
Apple Store
Google Play
Vídeo de 'making of' da sessão fotográfica que acompanha a entrevista:

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras