Nas Bancas

Academia Globos de Ouro: Está dado o primeiro passo para a noite de prémios

Os profissionais que sugerem os candidatos aos prémios da CARAS e da SIC reuniram-se no Beco - Cabaret Gourmet.

Cristiana Rodrigues
4 de abril de 2017, 12:53

Uma noite de muitos aplausos e cheia de emoções é aquela que nos espera no próximo dia 21 de maio, no Coliseu dos Recreios, data em que os vencedores dos Globos de Ouro vão subir ao palco. A contagem decrescente começou com a apresentação da Academia Globos de Ouro, composta por cinco profissionais de cada categoria a concurso (Cinema, Desporto, Moda, Música e Teatro), que se reuniu no Beco – Cabaret Gourmet de José Avillez, em Lisboa, para receber a informação que serve de base à eleição dos nomeados para os prémios da CARAS e da SIC.
Coube a João Manzarra, o anfitrião da XXII Gala dos Globos de Ouro, dar as boas-vindas aos elementos da Academia, alguns deles representados por terceiros. A cada elemento foi entregue um envelope com uma pen que continha a informação necessária para efetuarem as sugestões. Uma tarefa nada fácil para alguns. “Faz-se cada vez mais teatro, há mais público e eu estou muito a par do que se vai fazendo, mas há atores que são sempre bons, que fazem sempre bem porque não sabem fazer mal e é quase impossível não os nomear. Há anos em que há nomes incontornáveis, há outros anos em que é difícil fazer essa seleção”, revelou Isabel Villares que integra desde 2005 o painel do júri para a área do teatro. Helena Simões acrescenta que “um prémio é um incentivo, claro, mas as nomeações só por si já são um reconhecimento.”
Lenine Cunha, o atleta paralímpico mais medalhado do mundo, concorda. “Ao longo dos anos têm aparecido muito bons atletas que merecem ser destacados, como os que participam nos Jogos Olímpicos, que é o patamar mais alto na carreira de um desportista”, diz, sem esconder o orgulho de ter sido convidado para fazer parte da Academia Globos de Ouro na secção de desporto. O presidente do Comité Olímpico de Portugal, José Manuel Constantino, já não é novo nestas andanças e sublinhou o facto de esta ser “uma iniciativa de prestígio a que naturalmente o Comité Olímpico se associa com satisfação.”
Tozé Brito, a quem cabe, juntamente com mais quatro elementos, nomear o que de melhor se faz na música portuguesa, defende que é uma honra fazer parte desta Academia: “É uma responsabilidade, mas também um prazer. Não há nenhum prémio no nosso país que tenha o estatuto dos Globos de Ouro, são os nossos Óscares.”
José Vieira Mendes também destacou a importância desta cerimónia: “Adoro cerimónias de entregas de prémios, gosto do glamour, de ver as passadeiras vermelhas, e acho que são sempre um bom espetáculo de televisão e a SIC não vai gorar as expectativas.” Sobre a participação nesta Academia, o jornalista afirmou: “Para mim é sobretudo uma honra avaliar filmes portugueses. Sou um grande fã de cinema português, mas acho que o público não trata assim tão bem os nossos filmes. É preciso irem lá fora, ganharem prémios, para as pessoas irem vê-los. Mas acreditem, há bons filmes, bons realizadores e os atores portugueses são os melhores do mundo.”
Depois da apresentação, Júlia Pinheiro, diretora Executiva de Conteúdos da SIC, mostrava-se satisfeita e garantia que a Gala vai ser um bom espetáculo: “Este ano foi feito um refresh a vários níveis. Os Globos estão alinhados com os 25 anos da SIC, temos o João Manzarra como novo apresentador e convidámos pessoas novas que têm relevância nas várias áreas que premiamos para fazerem parte da Academia, por isso, estamos claramente num novo ciclo e vai correr tudo pelo melhor.”

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras