Nas Bancas

Georgina Rodríguez: O passado sofrido da namorada de Cristiano Ronaldo

Depois do ‘The Sun’ ter adiantado que o jogador terá recorrido novamente a uma barriga de aluguer e que vai ser pai de gémeos muito em breve, surgem na imprensa estrangeira notícias que dão a conhecer a infância e juventude difícil de Georgina Rodríguez.

Cristiana Rodrigues
2 de abril de 2017, 12:00

Georgina Rodríguez tem 23 anos e desde que conquistou o melhor jogador do mundo, todos os seus movimentos são alvo de escrutínio. É natural, portanto, que a imprensa se tenha empenhado em satisfazer a curiosidade do público sobre a namorada de Cristiano Ronaldo, procurando saber mais sobre as suas origens. O jornal El Mundo parece ter descoberto os seus antecedentes familiares e revelou há dias que a jovem cresceu num ambiente familiar desestruturado e tem tido uma vida difícil.
Conta o jornal espanhol que Georgina é filha do argentino Jorge Eduardo Rodríguez Gorjón e da espanhola Ana María Hernández. O pai, que foi jogador de futebol no seu país, chegou a Espanha em 1984, onde se estreou como treinador de futebol no Jacetano, equipa do campeonato regional. Nessa época conheceu Ana María, de quem teve duas filhas, Ivana María e Georgina. A vida profissional não lhe correu de feição e Jorge Gorjón acabou por abandonar a família e deixar Espanha. Regressou em 2006, reconciliou-se com a mulher e o Jacetano contratou-o novamente, agora como assistente técnico. O contrato não durou muito e resolveu abrir uma hamburgueria, mas o negócio foi por água abaixo. Assim como o casamento, pela segunda vez. Com dívidas à Segurança Social acumuladas – diz o El Mundo que ascendiam quase aos cinco mil euros –, os dois acabaram por abandonar Espanha. Jorge, que voltara a casar-se e ficou viúvo na sequência de um acidente de viação, regressou à Argentina, Ana Maria fixou-se em Roma, Itália. As filhas permaneceram em Espanha e tiveram de se desenvencilhar sozinhas.
Avança o The Sun que Georgina, que cresceu em Jaca, na região dos Pirenéus, onde trabalhou num bar, acabou por emigrar para Inglaterra. Aí conseguiu trabalho como empregada doméstica e babysitter de duas crianças gémeas, numa casa particular situada em Bristol. Em janeiro de 2016 assumiu as mesmas tarefas em casa de outra família e só depois regressou a Espanha, onde a sua vida ganhou novo rumo: funcionária de uma loja Gucci, conheceu CR7 num evento da Dolce & Gabbana e meses depois começaram a namorar. A presença diária dos paparazzi à porta da loja fê-la perder esse emprego, mas conseguiu outro no corner da Prada numa loja El Corte Inglés da zona financeira de Madrid. E há dias foi vista a utilizar os transportes públicos, o que mostra bem que não se deslumbrou com o facto de ser namorada de um milionário. Tudo na vida pode mudar de um dia para o outro, como bem se sabe.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras