Nas Bancas

Patrícia Pires de Lima ‘mostra’ o talento de artistas emergentes e conceituados

Foram várias as caras conhecidas que estiveram na inauguração da Mostra’17, no Príncipe Real. A anfitriã deste final de tarde foi a curadora Patrícia Pires de Lima.

Marta Mesquita
1 de abril de 2017, 18:00

O antigo Hospital Privado de Ortopedia, no Príncipe Real, foi o local escolhido por Patrícia Pires de Lima para realizar a Mostra’ 17, uma exposição que reúne trabalhos de 40 artistas contemporâneos. “Mal vi este espaço, encantei-me. É um antigo hospital desabitado, o que é ótimo para uma exposição como esta. Desafiámos cada artista a trabalhar com a área que lhe coube. Alguns até tinham uma retrete lá no meio, o que os obrigou a serem realmente criativos”, explicou a curadora, que tenta com esta iniciativa dar visibilidade aos criadores que estão a começar o percurso artístico: “Decidi reduzir o tamanho da Mostra, porque assim é mais fácil de dirigir a atenção do público. Prefiro ter mais do que uma Mostra por ano do que fazer exposições muito grandes. Temos aqui criadores estrangeiros convidados, artistas nacionais já consagrados e talentos emergentes. É cada vez mais difícil selecionar os criadores que estão a começar. Há muito talento no nosso país e é gratificante ver artistas que expuseram na Mostra chegarem a Serralves, por exemplo. É mesmo isso que pretendo.”
Admiradora das artes plásticas, Matilde Breyner visitou, entusiasmada, todos os espaços deste antigo hospital. Apesar de não ter companhia para este programa de final de tarde, a atriz fez questão de estar presente, já que considera importante a adesão do público a estas inicia­tivas. “Todas as formas de arte me interessam. Sou sempre uma presença assídua neste tipo de projetos, sobretudo em Portugal. Vim sozinha, porque nenhum dos meus amigos quis vir. Mas peguei no carro, estacionei e estou aqui. Se não viermos, para o ano podem cancelar por não haver público. E isso não pode acontecer! Esta exposição é uma ótima oportunidade para adquirirmos obras de artistas emergentes, que são as únicas que posso comprar [risos]. E até tenho olho para escolher... Acho que a arte é sempre um bom investimento. Compro sobretudo fotografias. Eu não fotografo, mas o meu namorado [o ator Tiago Felizardo] é um ótimo fotógrafo. Ele quer apostar nesta área e eu vou apoiá-lo. Ainda vai ganhar dinheiro com isso”, contou, divertida, a atriz.
Um dos artistas mais em destaque nesta Mostra é Antonio Espinosa, criador cubano que trouxe a Portugal alguns dos seus quadros e fotografias. “Transporto as minhas ideias, a realidade do meu país e da sociedade na qual me integro para o meu trabalho. Não somos as mesmas pessoas a vida inteira, por isso as minhas obras acabam por ser muito diversificadas”, explicou o artista, que no dia da inauguração desta exposição foi muito elogiado pelos visitantes.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras