Nas Bancas

Ágata Roquette admite: "Há momentos em que me sinto uma ex-obesa"

A nutricionista assina o primeiro dos três fascículos ‘Extreme Makeover’ que saem com a CARAS a partir da próxima semana.

CARAS
19 de março de 2017, 16:00

Na grande maioria das vezes, perder peso não muda apenas o número que se vê na balança. Traduz-se, também, em mais saúde, energia e, não menos importante, numa maior autoestima. Que o diga Ágata Roquette, que depois de sete anos em permanentes dietas, frustrações, e com uma bulimia a juntar-se a esta equação, conseguiu mudar não só os seus hábitos à mesa, como toda a sua vida. E é de como se pode fazer essa transformação que a nutricionista nos fala no primeiro dos três fascículos Extreme Makeover – em que outros tantos especialistas ensinam boas práticas para uma mudança de imagem e estilo de vida–, que começam a ir para as bancas com a CARAS na próxima semana.
Entre dicas para perder – ou manter – peso e sugestões para uma ementa mais rica e saudável, Ágata Roquette mostra como uma alimentação equilibrada pode ser um excelente ponto de partida para gostarmos mais de nós. Tendo como mote o fascículo que assina, a nutricionista partilhou qual a relação que tem hoje com a comida e como é que conseguiu fazer da obesidade apenas uma memória do passado.
– Uma mudança de vida pode começar à mesa?
Ágata Roquette
– Sim, comigo foi isso que aconteceu. Sempre comi bem às refeições, mas depois comia muitas bolachas nos intervalos. Mudei os meus snacks e comecei a perder peso. Além disso, a minha autoestima subiu imenso. Aos poucos, a pessoa muda. E essa mudança pode mesmo começar pela mesa, sim. A minha começou há dez anos.
– Em que consiste o seu fascículo de Extreme Makeover?
– Nele partilho uma dieta saudável para quem quer manter o peso, mas também mostro o que se deve comer quando se quer perder alguns quilos. Explico como evitar os processados e a fast food, apostando em alimentos novos.
– Ter excesso de peso pode revelar problemas e questões por resolver noutras áreas da vida?
– Pensando nos meus pacientes, quem tem excesso de peso acaba por ter problemas de autoestima. Quando as pessoas estão mais pesadas, parece que tudo corre pior nas suas vidas, porque estão mais chateadas e cansadas. E como não gostam da sua imagem, acabam por ficar mais deprimidas e comem mais.
Leia esta entrevista na íntegra na edição 1127 da revista CARAS.
Assinatura Digital
Apple Store
Google Play

Vídeo de 'making of' da sessão fotográfica que acompanha a entrevista:

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras