Nas Bancas

Angelina Jolie critica Donald Trump sem nunca citar o seu nome

Em discurso proferido na sede europeia das Nações Unidas, em Genebra, Suíça.

CARAS
16 de março de 2017, 15:45

A passar por momentos delicados a nível pessoal, Angelina Jolie mantém-se focada nos filhos e no seu trabalho humanitário, ao qual dedica grande parte do seu tempo. Esta quarta-feira, 15 de março, a atriz discursou na sede europeia das Nações Unidas, em Genebra, Suíça, e voltou a falar da necessidade de proporcionar condições de vida dignas aos milhares de refugiados que todos os dias se veem obrigados a deixar as suas casas. “Se os Governos e líderes não mantêm a chama do internacionalismo viva, teremos de ser nós, cidadãos, a fazê-lo. Vivemos uma onda de nacionalismo crescente, disfarçado de patriotismo, e estamos a voltar a políticas que incentivam o medo e o ódio”, afirmou a estrela de Hollywood, numa clara crítica a Donald Trump e às medidas anti-imigração que quer implementar nos Estados Unidos. “Muito do medo que observamos hoje quando falamos de refugiados ou estrangeiros é apenas sinónimo de ignorância e é muito alimentado pela classe política atual. Temos de reconhecer o mal que estamos a fazer quando tentamos sabotar as Nações Unidas ou usamos a organização apenas para o que nos convém e lhe damos tarefas impossíveis sem a ajudarmos financeiramente”, prosseguiu Jolie, numa crítica direta ao governo de Trump, que está a rever o financiamento à ONU, no intuito de o reduzir.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras