Nas Bancas

Júlia Pinheiro testemunha a favor de Bárbara Guimarães

Prossegue em tribunal o processo em que a apresentadora acusa o ex-marido, Manuel Maria Carrilho, de violência doméstica

CARAS
13 de março de 2017, 17:39

Júlia Pinheiro está a ser hoje ouvida em tribunal como testemunha no processo em que Bárbara Guimarães acusa Manuel Maria Carrilho de violência doméstica. Declarou a diretora de Entretenimento e Lifestyle da Impresa que as entrevista de Carrilho sobre a ex-mulher são "profundamente atentatórias do bom nome da Bárnara enquanto mulher e enquanto mãe. Foram um assassinato de caráter com palavras ofensivas e danosas para a Bárbara".
Na opinião da apresentadora do programa da SIC Queridas Manhãs, "tudo o que foi dito nas entrevistas foi grosseiro e, sobretudo, violento e nada expectável. Não tenho a menor dúvida de que ele [Carrilho] soubesse exatamente que cada uma daquelas palavras eram punhais". E prosseguiu: "As entrevistas na televisão foram devastadoras, porque era uma pessoa de viva voz a abrir a porta da sua intimidade de forma obscena. Creio que isto nunca deixará de ter efeito na imagem pública da Bárbara. Deixam-na fragilizada para todo o sempre. Já para não falar da mágoa que deve ter como mulher."
Júlia Pinheiro acredita mesmo que por detrás de toda a estratégia de vingança de Carrilho há um único objetivo: "Obter a tutela dos dois filhos. Porque se a Bárbara perder a tutela, ele sabe que, para a sociedade, ela falhou enquanto mãe e mulher." E sublinha: "A vida profissional da Bárbara está maculada por este processo. Atrevo-me a dizer que nunca recuperará."

No decorrer das questões colocadas a Júlia Pinheiro em tribunal, a apresentadora garantiu que Bárbara Guimarães "era uma pessoa luminosa" antes de tudo isto acontecer. Hoje, "transformou-se numa mulher temerosa, receosa, que faz um esforço claro quando tenta interagir. Não tenho pudor em dizer que este processo destruiu-a emocionalmente. É de uma enorma gravidade", sublinhou."Uma das coisas de que tenho mais tristeza é que os danos feitos à sua alegria e segurança não conseguem ser reparados", acrescentou a apresentadora.

Questionada sobre os efeitos que as acusações proferidas publicamente por Manuel Maria Carrilho terão tido na carreira de Bárbara Guimarães, Júlia Pinheiro foi peremptória: "Depois de repetidas muitas vezes as mesmas afirmações, o público reage com dúvida. O público tem hoje sobre a Bárbara uma dúvida sistemática que anula tudo. Se a ligação com o público for quebrada, sendo este um elo mágico, as chefias reconsideram a possibilidade de atribuir determinado programa a determinado apresentador. Hoje, a Bárbara será, provavelmente, a última hipótese na escolha de apresentadores. Ela foi preterida em diferentes situações".

Após o advogado de defesa de Bárbara Guimarães, Pedro Reis, lhe ter perguntado se queria acrescentar alguma coisa ao que já tinha dito em tribunal, Júlia Pinheiro aproveitou a oportunidade para frisar que tem "muita pena que uma família se tenha desintegrado desta maneira e que tenha sido um dos cônjuges que não tenha tido o discernimento de solucionar os desentendimentos com a mulher sem expor os filhos". Júlia Pinheiro garantiu, ainda, que foi testemunha das várias marcas e nódoas negras que Bárbara Guimarães começou a ter, de forma sistemática, nas pernas.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras