Nas Bancas

Chrissy Teigen e John Legend com a filha, Luna Simone

Chrissy Teigen e John Legend com a filha, Luna Simone

Chrissy Teigen fala da luta contra a depressão pós-parto: “Tinha tudo para ser feliz, mas não era”

A filha da modelo e de John Legend, Luna Simone, tem agora 11 meses.

CARAS
8 de março de 2017, 11:28

Chrissy Teigen e John Legend foram pais pela primeira vez há 11 meses, de uma menina, Luna Simone. O casal travou uma longa batalha contra a infertilidade, submeteu-se a vários tratamentos, como revelou em entrevista a modelo, pelo que a gravidez foi vivida com grande entusiasmo. Mas a verdade é que depois do nascimento da bebé, Chrissy Teigen passou por outra fase complicada: a depressão pós-parto. “Tinha tudo o que precisava para ser feliz, mas sentia-me infeliz”, confessa a mulher de John Legend à revista Glamour. “Nunca pensei que pudesse acontecer-me porque tenho uma vida fantástica e toda a ajuda que preciso: o John, a minha mãe, que vive connosco, e uma ama. Mas o pós-parto deita-nos abaixo. Não conseguimos controlar. Sentimo-nos culpadas por tudo e não estamos bem. E o mais difícil é começar a falar sobre o que sentimos, assumir que estamos tristes numa altura que deveria ser a mais feliz da nossa vida”, adianta a manequim, de 31 anos, que demorou meses a procurar ajuda médica e a ser diagnosticada com depressão pós-parto e ansiedade. “Sair da cama e ir trabalhar era horrível. Doíam-me as costas, os ombros e até os pulsos. Não tinha apetite. Era capaz de passar dias sem comer nada, logo eu que adoro comer. E quando não estava a fotografar não saia de casa nunca. E nunca é mesmo nunca. Passei muitos dias seguidos sentada no mesmo sítio do sofá, sem energia sequer para subir as escadas para o primeiro andar e deitar-me na cama”, relata, acrescentando que a ajuda do marido tem sido fundamental: “O John é muito paciente, amoroso e tentava sempre perceber o que estava a acontecer-me. Agradeço muito a todos os que me apoiaram nesses momentos. O John foi fantástico nos últimos nove meses. Preocupa-se se tomo os medicamentos e até aceita ver reality shows comigo. É querido e tenta fazer coisas que sabe que me farão sorrir. Sei que às vezes tem vontade de ‘abanar-me’ e dizer-me que já chega, que tenho de superar. Mas nunca o fez. Ele quer ver-me feliz e com energia, mas não me pressiona, entende que não é fácil”.
E embora continue a lutar para recuperar a sua alegria e a sua vida, Chrissy Teigen não descarta a possibilidade de voltar a ser mãe. “Amo o John e a Luna mais do que consigo descrever e temos a esperança de darmos um irmão à nossa filha. O que aconteceu de mau no pós-parto não muda isso. Quero também esclarecer que estou a falar deste assunto para que se perceba que pode acontecer a qualquer pessoa. Não quero que as mulheres que sofrem deste problema se sintam envergonhadas ou sozinhas. Também não quero fingir que sei tudo sobre a depressão pós-parto, porque pode ser diferente para cada uma de nós. Mas sei que a mim me ajuda, e muito, falar sobre o tema”, conclui.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras