Nas Bancas

Filipa Areosa garante: “Não me sinto menos feminina por estar careca”

Juntos há cerca de dois anos, Filipa e Tiago, de 26 e 27 anos, integram o elenco da novela da SIC ‘Amor Maior’, onde interpretam duas personagens muito marcantes. O casal aproveitou uma pausa nas gravações para participar na Seat Snow Cup, em Andorra, onde se divertiram, namoraram, relaxaram e conviveram com os amigos.

Joana Carreira
25 de fevereiro de 2017, 10:00

São divertidos, simpáticos e descontração não lhes falta. Filipa Areosa, de 26 anos, e Tiago Teotónio Pereira, de 27, são um dos casais mais queridos da nova geração de atores e integram atualmente o elenco da novela a SIC Amor Maior, onde fazem de irmãos.
Personagens marcantes que, como dizem, têm sido grandes desafios: Tiago dá vida a um jovem problemático que se vê confrontado com a homossexualidade, enquanto Filipa, na pele de Mafalda, recebe um diagnóstico de cancro da mama, o que a obrigou a rapar o cabelo.
Para descansar das intensas gravações, os dois atores estiveram em Andorra, durante a Seat Snow Cup, onde aproveitaram para namorar e conviver com amigos.
– Como se sente careca?
Filipa Areo­sa – Sinto-me bem. Acho que há aquela ideia de que ser careca não é muito feminino, mas eu não concordo. Antes, talvez achasse que não iria ficar-me bem, mas agora não, nem me sinto menos feminina por isso. Só tenho é frio.
– Foi difícil tomar a decisão de rapar o cabelo?
– Não. Acho que qualquer atriz, com esta oportunidade, faria o mesmo. É a nossa profissão e isto pode acontecer. A mudança de visual faz parte do processo e se é para complementar a personagem, tem mesmo de ser. Como atores, o nosso cabelo já não nos pertence, já é um bocado emprestado. Nunca tenho o cabelo como quero, por isso...
– Foi o ator Rúben Gomes que lhe rapou o cabelo durante a cena da novela. O que sentiu nesses momentos?
– Não me fez impressão, estávamos concentrados na cena e o Rúben foi muito querido. Eu tinha um espelho à frente, mas tentei não olhar.
– E quando se confrontou com o espelho?
– Quando vi não achei estranho. Apenas foi esqui­si­ta a sensação de não ter a pressão do cabelo. De resto, foi tranquilo.
– E o Tiago, o que achou desta mudança de visual?
Tiago Teotónio Pereira – Gosto. Eu vi a cena e reagi com naturalidade, ela fica bem. Nós já tínhamos feito aquela brincadeira de pôr o cabelo para trás para ver como ficava, já estava mais ou menos à espera. Claro que é sempre diferente, mas o cabelo é um adereço. E cresce.
– Orgulhoso?
– Claro, sou orgulhoso dela. Isto foi só mais uma coisa.
– Já teve feedback do público?
Filipa – Sim, acho que as mulheres se identificam muito com isto, porque é uma doença conhecida por todas nós. Recebi muitas mensagens, as pessoas falam sobre os seus problemas, muito específicos, cuja dimensão às vezes nem consigo avaliar, porque nunca passei por isso. Simplesmente, tenho algumas ‘luzes’ do que é estar assim. Mas agora tenho muito mais perceção.
– Como se preparou para o papel?
– Tive a ajuda da Inês Gomes, a autora da novela, que já passou por um cancro. Ela guiou-me numa linha mais específica. Antes, obviamente, fiz as minhas pesquisas, porque já sabia que isto ia acontecer. Isto é muito emocional e tem muito a ver com a forma como as pessoas abordam o cancro. E, neste caso, descobrir a doença numa miúda nova, como é a Mafalda, nunca é fácil, não se está à espera. Imagino que, se tivesse de passar por isto agora, não saberia como reagir...
– São namorados na vida real e irmãos na novela. Como tem sido a experiência?
– Tranquila. Acima de tudo, somos amigos e tentamos ser profissionais, porque estamos a trabalhar. Obviamente que temos uma relação muito melhor do que com os nossos colegas, mas o tratamento é igual. Eu ponho-me no meu lugar e ele no dele e corre tudo bem.
Tiago – É giro, porque conseguimos estar juntos, apesar de não gravar assim tanto com ela. Mas dá para almoçarmos de vez em quando, é bom [risos].
– Estão sempre bem dispostos e são muito brincalhões. Isso faz com que a vossa relação resulte?
Filipa – Somos parecidos e é por isso que estamos juntos. É uma das razões...
Tiago – Temos muito a ver um com o outro. A nossa relação vai acontecendo, vivemos uma coisa de cada vez. Estamos bem, é o que interessa.
– O Tiago também tem uma personagem marcante...
– Tem sido giro, o Ricardo é uma personagem desafiante. Não é só por ser homossexual, mas por ser contra tudo isso, não querer assumir perante família e amigos, por ser de uma classe média/alta e achar que tem de esconder. Espero que seja um tema cada vez menos tabu, porque nas novelas retratamos relações.
– Como lida com as cenas de intimidade?
– Não me faz confusão. É o meu trabalho.
Filipa – Ele está a fazer a mesma coisa que na novela anterior, Mar Salgado, só que a relação é com um homem. Retrata uma personagem que ainda não está confortável na sua pele e isso é sempre difícil de gerir. É bom para que se acabe com o preconceito. E que haja mais ficção com este tipo de personagens, porque isto é o normal, o dia-a-dia.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras